Publicidade
Opinião Opinião

Investimento nas nossas RSs

Plano bilionário do Estado para recuperar, melhorar e ampliar rodovias gaúchas traça um novo cenário para os próximos anos, incluindo novos pedágios e investimentos na malha rodoviária, além da extinção da EGR

Por Guilherme Schmidt
Publicado em: 11.06.2021 às 15:39 Última atualização: 11.06.2021 às 15:39

Os jornais do Grupo Sinos já vêm acompanhando desde 2019 os trabalhos do governo do Estado na busca de alternativas para melhorar o sistema de rodovias do Estado. A entrega da duplicação da RS-118,em dezembro de 2020, foi um marco, e nesta semana o governador Eduardo Leite anunciou um plano bilionário para transformar várias RSs nos próximos anos. Um investimento que promete mudar o atual cenário das rodovias, e que já encaminha a extinção da Empresa Gaúchas de Rodovias (EGR), que não vai completar uma década da sua criação (em 2012), pois deve deixar de existir no final deste ano.

O investimento do próprio governo já se inicia em 2021/22, com melhorias que afetarão acessos em várias cidades e avanço na segurança da própria RS-118 com passarelas, uma nova elevada próxima à free way e outros trabalhos, como a instalação do posto rodoviário. Além disso, até o fim do ano, tem a concessão de estradas, com meta de até triplicar as pistas de rodovias como a própria 118 no atual trecho duplicado, a RS-240 (e essa obra seria em um período próximo - a previsão é de triplicar a atual pista dupla entre a Scharlau e Portão ainda nesta década de 20) e a RS-239 entre a BRi116 e Taquara.

São obras que com a ampliação da ponte da BR-116 (em andamento) e a reformulação do entroncamento da 116 com a 240 (que prevê ampliação de pista e uma nova elevada no local) - obras estas federais previstas para estarem prontas entre 2022 e 2024 - mudarão o cenário rodoviário da região.

Memória

Há quem lembre da grande mudança que foi a obra do viaduto no cruzamento da 116 com a 240, substituindo o “show” de sinaleiras dos anos 1980. Eram tantos semáforos que muitas pessoas até se confundiam no local. E há, quem mais antigo ainda, que se lebre quando a 116 ainda era BR-2 com pista simples da rodovia federal na região, assim como a 240. Foram grandes mudanças de lá para cá, sendo que todas necessárias para dar fluxo ao trânsito cada vez mais intenso na região.

Aviso sério

Os crescentes números de ocupação ans UTIs dos hospitais gaúchos  demonstram a necessidade de todos tomarem cuidados contra Covid. Lembrando que esta época de frio normalmente já causa uma infeliz e habitual lotação nos leitos hospitalares devido às doenças respiratórias.

Se o RS tivesse o mesmo número de leitos (900) de antes da pandemia seria o caos para abrigar os hoje 3 mil internados, sendo que de 60% a 70% dos casos são exatamente de Covid-19.


O artigo publicado neste espaço é opinião pessoal e de inteira responsabilidade de seu autor. Por razões de clareza ou espaço poderão ser publicados resumidamente. Artigos podem ser enviados para opiniao@gruposinos.com.br
Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.