Publicidade
Botão de Assistente virtual
Notícias | Região PRIMEIRA EDIÇÃO

Tricofest de Nova Petrópolis apresenta tendências para o inverno e surpreende nas vendas

Lojistas afirmam que rentabilidade está melhor do que no período pré-pandemia; evento vai até o dia 19 e, na segunda quinzena de julho, terá edição em Picada Café

Por Mônica Pereira
Publicado em: 04.06.2022 às 18:21 Última atualização: 05.06.2022 às 13:12

O sábado de sol e o frio típico da Serra foram um convite para o público participar da Tricofest, que ocorre nos pavilhões do Centro de Eventos de Nova Petrópolis. O antepenúltio final de semana do evento, que iniciou no dia 13 de maio, foi de corredores cheios e muitos negócios.

Quem aproveitou para fazer compras foi Jussara Horn, de 86 anos, de Porto Alegre. Ela participava de uma excursão e já havia passado por Novo Hamburgo, para comprar sapatos, e também pelo Parque Histórico Jorge Kuhn, em Picada Café. Na Tricofest, a primeira aquisição foi um presente de aniversário para a neta. "Vi na entrada a propaganda da loja e gostei. Comprei e o preço foi maravilhoso. Fiquei bem feliz", destaca. A aposentada costuma comprar malhas na região e estava contente em participar da primeira edição do evento, que foi organizado para substituir o Festimalhas. "Fui bem atendida. Bom poder voltar a passear depois de dois anos de pandemia", comemora.

Jussara Horn, de 86 anos, aproveitou o sábado para comprar um presente para a neta na Tricofest, de Nova Petrópolis
Jussara Horn, de 86 anos, aproveitou o sábado para comprar um presente para a neta na Tricofest, de Nova Petrópolis Foto: Mônica Pereira/GES-ESPECIAL
O presidente da Associação das Malharias de Nova Petrópolis e Picada Café, entidade organizadora da Tricofest, Márcio Kny, também comemora o sucesso da feira. "As vendas estão muito boas. A gente vinha do cenário de pandemia e não sabia como estava a questão da economia. Com o aumento do custo da produção, teve um reajuste no preço da malha, mas, mesmo assim, estamos indo muito bem", frisa.

O evento é realizado em dois pavilhões e tem 24 estandes de malharias, além de cerca de 20 na área de acessórios. No espaço há, ainda, recreação, área de alimentação interna e externa, com food trucks. Até o final de semana passado, mais de 25 mil pessoas haviam passado pela feira.

Proprietário de uma malharia de Nova Petrópolis, Márcio conta que foi preciso aumentar a produção para poder participar do evento. Com peças voltadas ao público masculino, neste ano, os tons de verde e azul estão predominando.

E não faltam opções de produtos para quem percorre as lojas. Desde roupas mais básicas até as mais elaboradas, com variados preços.

Em Nova Petrópolis, a Tricofest abre as portas ao público nos finais de semana até o dia 19 de junho e também no feriado de Corpus Christi, no dia 16, das 10 às 19 horas. O estacionamento e a entrada são gratuitos. Depois, entre os dias 16 e 31 de julho, a edição será em Picada Café, no Parque Histórico Jorge Kuhn, das 10 às 18 horas, nos sábados e domingos. 

Croppeds em alta

Croppeds de tricô e em cores vibrantes são tendência na Tricofest, de Nova Petrópolis
Croppeds de tricô e em cores vibrantes são tendência na Tricofest, de Nova Petrópolis Foto: Mônica Pereira/GES-ESPECIAL
Dentre as tendências apresentadas no evento estão os croppeds de tricô em cores vibrantes, como laranja e rosa pink. É possível encontrar peças por R$ 149. “A gente passou por um período cinza e as cores ajudam o pessoal nessa retomada e a trazer mais vida”, avalia a proprietária de uma das lojas que vende o produto na feira, Natacha Hahn. A empresa familiar possui fabricação na localidade de Pinhal Alto, em Nova Petrópolis. “As vendas estão surpreendendo. Além da expectativa até”, complementa a também proprietária, Elci Haas. “É o melhor evento que a gente já fez, isso incluindo o Festimalha”, completa Natacha.

Mãe e filha, elas estão se organizando para as vendas em Picada Café. “Mas a gente não tem mais estoque. A gente produz e logo vende. Pela manhã, eu terminei algumas peças para poder expor”, ressalta Elci.

Devido à pandemia, o alto custo da matéria-prima e a demora na entrega são fatores que atrasam a produção. “O fio, para fabricação das peças, a gente encomendou em setembro do ano passado e chegou em maio. As empresas não aceitam pagamento antecipado, é o valor da fatura do dia da entrega. Mesmo querendo pagar antes, não conseguimos. É que sabem que não vai baixar, somente aumentar”, avalia Elci.

Com isso, as roupas estão com valor mais elevado, mas, mesmo assim, não é possível repassar todo o custo ao cliente. “Nossa matéria-prima aumentou em 70% desde o início da pandemia. Não tem como aumentar tudo isso em uma peça. A gente fica no aguardo da estabilização do mercado”, pondera Natacha.

Infantil

Há opções também de lojas com moda infantil. Com o frio mais intenso dando as caras antes mesmo do inverno, a procura por peças mais quentes cresce. Na loja da Maristela Mallmann, a maior saída é a do casaco forrado com fibra, que custa R$ 159. Para a proprietária, a rentabilidade do negócio está melhor do que no período pré-pandemia.

Com duas lojas e fabricação em Nova Petrópolis, ela optou por não participar da edição de Picada Café porque não possui estoque o suficiente para abastecer os pontos de venda. “O pessoal está comprando bastante”, reforça. 

Há diversas lojas de confecção infantil na Tricofest, de Nova Petrópolis
Há diversas lojas de confecção infantil na Tricofest, de Nova Petrópolis Foto: Mônica Pereira/GES-ESPECIAL

Para aquecer

Lúcia Silveira é vendedora de roupas de cama e estava feliz com as vendas
Lúcia Silveira é vendedora de roupas de cama e estava feliz com as vendas Foto: Mônica Pereira/GES-ESPECIAL
No pavilhão de acessórios é possível encontrar materiais em couro, bijuterias, utensílios para chimarrão, lareiras, cosméticos e muito outros produtos. Um dos estandes é especializado em roupas de cama e possui variedades de lençóis, fronhas, cobertores, mantas. A vendedora Lúcia Silveira destaca que as vendas estão boas. “Tem dias que tem mais movimento, outros menos, mas, no geral, está bem bom”, destaca.

Com confecção própria em Flores da Cunha, é a primeira vez que a marca participa de eventos em Nova Petrópolis e garantiu, ainda, a participação da edição de Picada Café. Até o momento, o carro-chefe das vendas são os cobredons (mistura de cobertor com edredom). Com variedades de cores e estampas, as peças são vendidas por R$ 280.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.