Publicidade
Botão de Assistente virtual
Notícias | Região FESTIVAL DE FILMES

Teixeirinha leva 300 pessoas em três dias ao Espaço Cultural de Rolante

Mostra exibe 12 filmes produzidos e protagonizados pelo músico tradicionalista que virou 'fenômeno pop'

Por Eduardo Amaral
Publicado em: 28.05.2022 às 19:49 Última atualização: 29.05.2022 às 23:27

Desde a última quinta-feira (26), a mostra de filmes protagonizados por Teixeirinha levaram, segundo os organizadores, 300 pessoas ao Espaço Cultural de Rolante, no centro da cidade. Até este domingo (29), serão exibidos 12 filmes produzidos durante as décadas de 1970 e 1980, período em que o músico era considerado um dos maiores fenômenos musicais de todo o País, mesmo tendo seu público cativo no Rio Grande do Sul.

Evento apresentará os 12 filmes produzidos e protagonizados por Teixeirinha
Evento apresentará os 12 filmes produzidos e protagonizados por Teixeirinha Foto: Eduardo Amaral/GES Especial

O festival de filmes é uma forma de homenagear o “Gaúcho de Passo Fundo”, que, na verdade, nasceu na localidade de Mascarada, no interior de Rolante, no dia 3 de março de 1927. Foi após ficar órfão, aos 6 anos, que Teixeirinha se mudou para a cidade do Norte do Estado. A história é contada pelo cantor em uma música e um filme, ambos intitulados Coração de Luto. A música foi lançada em 1960, com o disco "O Gaúcho Coração do Rio Grande", já o filme veio anos mais tarde, em 1967.

Produtor executivo da mostra, Carlos Peralta destaca como Vítor Matheus Teixeira, nome de batismo de Teixeirinha, conseguiu entender a comunicação do seu tempo para competir, em termos de público, inclusive, com Roberto Carlos. “Ele percebeu que cantando, fazendo shows e, depois, fazendo filmes se consolidava como artista nacional”, explica. Segundo Peralta, esse entendimento de momento foi fundamental para torná-lo um artista popular. “O Teixeirinha soube fazer uma leitura da comunicação da sua época, com o filme, ele lançava uma música.”

Fenômeno pop

Lembrado como músico tradicionalista, Teixeirinha, na verdade, transcendeu os Centros de Tradição Gaúcha (CTGs). “Os discos tinham o lado A, com mais músicas gaúchas, e o lado B eram músicas românticas”, ressalta Peralta.

Isis Azevedo da Silveira viveu aquele momento e pôde presenciar o tamanho do músico gaúcho em uma viagem a São Paulo em 1970, quando foi acompanhar a gravação do Programa da Hebe, à época veiculado na TV Record. O entrevistado era justamente Teixeirinha. “Ele era de uma vertente única, produzia com muita qualidade, era uma pessoa diferenciada que captava o momento popular”, lembra ela, hoje com 70 anos, que no sábado assistiu ao filme "A Filha de Iemanjá", acompanhada da filha Clarissa.

Mãe e filha mostraram-se surpresas com a qualidade e a atualidade dos temas abordados no filme, lançado em 1981. “Ele aborda a religiosidade afro-brasileira de uma maneira positiva, e o filme termina em um ritual no qual ele faz uma homenagem aos pais e mães de santo e aparecem brancos e negros juntos, isso em uma época ainda muito racista”, destaca Clarrisa.

Legado de orgulho

No sábado (28), quem foi surpreendido pelo festival foi o sobrinho-neto de Teixeirinha, Altamiro Krumenauer, que, apesar do sobrenome alemão, é neto de um dos irmãos do músico. Ele estava de passagem pela cidade e, ao ver os cartazes de filmes com o rosto do familiar, foi se inteirar sobre o evento e manifestou o desejo de ainda ver a história do tio-avô ganhar um museu. "O dom que ele tinha não era para qualquer um, era um baita ator e um baita cantor."

Aos 69 anos, Altamiro ainda guarda recordações do parente famoso e se mostra feliz com a lembrança viva que permanece. “A gente se sente bem vendo essa lembrança, acho isso maravilhoso."

O Festival de Filmes Teixeirinha encerra sua passagem por Rolante neste domingo, com a exibição dos filmes Pobre João, Tropeiro Velho e Motorista sem Limites. A proposta dos organizadores é que ele se espalhe por outras cidades do Estado nos próximos meses.

Na próxima semana, o festival ocorre em Santa Cruz do Sul. O evento também vai passar por cidades como Arroio Grande, Bento Gonçalves, Canoas, Carazinho, Carlos Barbosa, Caxias do Sul, Dom Feliciano, Gravataí, Nova Petrópolis e Passo Fundo. Os municípios interessados podem entrar em contato com a organização pelo WhatsApp (51) 99599-2070.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.