Publicidade
Botão de Assistente virtual
Notícias | Região INVESTIGAÇÃO

Dois suspeitos por envolvimento na morte de advogado gaúcho em SC são presos

Além dos dois presos, a Polícia Civil catarinense não descarta a participação de outras pessoas que também estiveram com o criminalista durante o feriadão de carnaval

Por Juliano Piasentin
Publicado em: 25.03.2022 às 18:41

Dois homens foram presos por suspeita de participação na morte do advogado gravataiense Carlos Eduardo Martins Lima, 31 anos, conhecido como “show man”, no início de março, em Florianópolis. A Polícia Civil de Santa Catarina segue investigando o caso e não descarta a participação de nenhuma das pessoas presentes no grupo de amigos em que o criminalista estava na capital catarinense.

Carlos Eduardo Martins Lima, 31 anos, conhecido como "show man", foi assassinado no início de março, em Florianópolis
Carlos Eduardo Martins Lima, 31 anos, conhecido como "show man", foi assassinado no início de março, em Florianópolis Foto: Arquivo Pessoal
Segundo o delegado responsável pela Delegacia de Homicídios de Florianópolis, Ênio Mattos, os dois presos estavam no grupo de amigos que chegou a passar por até quatro locais no norte da ilha catarinense durante o feriadão de carnaval.

O gaúcho que seria segurança da vítima foi preso alguns dias após ao crime, ainda em Florianópolis. O outro suspeito preso, é natural de Santa Carina, foi capturado na Capital catarinense e seria amigo de Carlos Eduardo. A Polícia não informou as identidades dos dois homens e nem se eles possuem antecedentes criminais.

De acordo com as investigações, os dois suspeitos teriam auxiliado na dinâmica do crime, através de uma negociação de cocaína. Carlos Eduardo teria saído para comprar a droga e foi morto em uma emboscada, sendo agredido e torturado segundo laudos da autópsia do corpo.

Os outros amigos do advogado já retornaram para o Rio Grande do Sul, entre eles a ex-noiva de Carlos Eduardo, que estaria com amigos dele em apartamento na Barra da Lagoa. A identidade dela também não foi divulgada pelas autoridades. Segundo a Polícia, a mulher tinha uma medida protetiva contra o ex-companheiro, que era acusado de agredi-la. Carlos Eduardo chegou a ter um mandado de prisão por supostamente descumprir a medida, mas a ordem foi revogada pela Justiça.

“Mais pessoas devem ser presas por envolvimento na morte do advogado”, adianta Mattos, sem entrar em detalhes. A Polícia ainda busca esclarecer as circunstâncias e a motivação do crime. 

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.