Publicidade
Notícias | Região NOVA ESTAÇÃO

Inverno terá mais frio e menos chuva, antecipa Metsul

Meteorologistas afirmam, entretanto, que episódios de frio extremo tendem a ser pontuais

Publicado em: 20.06.2021 às 19:06 Última atualização: 20.06.2021 às 20:17

Inverno no RS terá mais frio e menos chuva em 2021, conforme previsão da Metsul Foto: Cleici Trois/Arquivo
Inicia nesta segunda-feira (21) a estação mais fria do ano. A partir da 0h32, o inverno começa a "dar as caras" e permanece até o dia 22 de setembro. A temporada de 2021 deve ser menos chuvosa no Rio Grande do Sul, conforme a MetSul Meteorologia, e as temperaturas, mais baixas.

Meteorologistas projetam um inverno mais frio na comparação com os últimos anos, que, acompanhando a tendência geral de aquecimento do planeta, tiveram menor frequência de frio intenso e mais dias de temperaturas amenas ou quentes.

Apesar da probabilidade de períodos frios de longa duração, a temporada deste ano não deve ser rigorosa a ponto de registrar frio intenso constante ou quase permanente. Os episódios de frio extremo, segundo metereologistas, tendem a ser pontuais. Conforme a MetSul, pelo menos um desses episódios pode ser bastante significativo, refletindo um padrão observado no Hemisfério Norte no começo deste ano.

Oscilações

Junho e julho, historicamente, são os meses de temperaturas mais baixas, enquanto agosto e setembro tendem a ter temperaturas mais altas, inclusive com alguns dias de intenso calor, que lembram jornadas de verão, com marcas perto ou acima dos 35ºC. Essas ocasiões, com registros de altas temperaturas, costumam preceder eventos de tempo severo no Sul do Brasil.

Em 2021, há uma possibilidade maior de episódios de frio intenso em agosto e setembro, com risco agravado de geada tardia no fim do inverno e no começo da primavera - o que pode levar prejuízos à agricultura. A alternância de calor e frio é maior nesses meses, gerando risco de mudanças bruscas de temperatura, com vento e, não raro, tempestades. Essas oscilações radicais de calor para frio e vice-versa podem provocar danos à fruticultura.

Neve e geada

A história do clima gaúcho mostra que muitos invernos não chegaram a ser rigorosos, mas tiveram uma ou duas ondas de frio significativas, inclusive com grandes nevadas - caso de agosto de 1965. A neve é um fenômeno que só pode ser previsto em curto prazo, dias ou horas antes, porém, em anos anteriores que apresentaram características similares às que se prevê para 2021, houve maior propensão para eventos de neve no Sul do Brasil, principalmente nos meses de agosto (maior número de casos na segunda metade do mês) e setembro.

Segundo a Metsul, há previsão de geada para este inverno mesmo com incursões de ar frio mais fracas, porque será mais ampla a presença de massas de ar polar de maior intensidade. Julho, pela maior frequência de dias frios esperada, deve registrar mais geada do que agosto e setembro.

Episódios pontuais de chuva excessiva

O inverno é o período mais chuvoso do ano no Rio Grande do Sul, entretanto, neste ano, a perspectiva é de uma estação com menos chuva do que o registrado habitualmente na maioria das regiões do Estado. Os meteorologistas da Metsul enfatizam que, apesar da tendência de um inverno menos chuvoso em relação a padrões históricos, episódios pontuais de chuva excessiva podem acontecer.

É altamente provável que o trimestre de junho a agosto termine com chuva abaixo de média na maior parte do território gaúcho. Porém, agosto, isoladamente, pode ser um mês com acumulados de precipitação mais altos em algumas regiões do Estado, com possibilidade de chuva acima da média mensal.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.