Publicidade
Notícias | Região Chega de mortes

Prefeitos vão cobrar Estado por mais segurança na RS-239

Reunião na quinta-feira terá a presença de presidente da Empresa Gaúcha de Rodovias (EGR) e secretário estadual de Transportes

Publicado em: 07.04.2021 às 16:50 Última atualização: 07.04.2021 às 16:57

Acidentes graves têm sido frequentes na rodovia Foto: Bombeiros Voluntários de Nova Hartz/Especial
Prefeitos do Vale do Sinos e Paranhana discutem nesta quinta-feira, dia 8, com representantes do governo do Estados, soluções para frear a escalada de mortes na RS-239. Pelo Estado participarão o secretário de Transportes do Estado, Juvir Costella; o diretor-presidente da EGR, Urbano Schmitt; e o comandante rodoviário da Brigada Militar, tenente-coronel, Luciano Moritz Buenol. A reunião será conduzida pelo presidente da Associação dos Municípios do Vale do Rio dos Sinos (Amvars), prefeito de Campo Bom, Luciano Orsi, e também contará com a presenta do presidente da Associação dos Municípios do Vale do Paranhana (Ampara), prefeito de Parobé, Diego Picucha.

No último final de semana, a rodovia alcançou a marca de 14 mortes em acidentes desde o começo do ano. A 239 percorre 132 quilômetros e cruza 12 municípios, mas o trecho mais crítico está localizado entre Sapiranga e Parobé. Os acidentes com morte se concentram em um trecho de pouco mais de 40 quilômetros.

O prefeito de Parobé, Diego Picucha, e a prefeita de Sapiranga, Carina Nath, já apresentaram reivindicações à EGR, que delegou estudos sobre melhorias ao Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem (Daer), mas até o momento nenhuma decisão foi anunciada.

O Comando Rodoviário da Brigada Militar (CRBM) argumenta que a principal causa dos acidentes fatais é a imprudência dos motoristas. Mas problemas de sinalização, falta de controladores de velocidade e a quantidade de retornos são frequentemente apontados por prefeitos.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.