Publicidade
Botão de Assistente virtual
Notícias | Região Bom exemplo

Estudantes vão receber 120 celulares apreendidos no presídio de Osório

Os aparelhos apreendidos serão restaurados por um projeto social de Tramandaí e depois entregue para alunos em situação de vulnerabilidade

Por Suélen Schaumloeffel
Publicado em: 27.07.2020 às 19:29 Última atualização: 27.07.2020 às 19:29

Participaram da assinatura da parceria, a juíza Anna Alice da Rosa Schuch, o promotor Alves, delegado João Henrique Gomes de Almeida e o presidente do projeto social, Marcelo Maseda. Foto: Ministério Público/Divulgação
O Ministério Público destinará a Estudantes da rede pública de Osório, Tramandaí e Maquiné vão receber 120 telefones celulares apreendidos na Penitenciária Modulada Estadual de Osório. Batizado de Projeto Alquimia II, a ideia foi desenvolvida pelos promotores de Justiça Criminal e Regional de Educação de Osório, Fernando Andrade Alves e Cristiane Della Méa Corrales, respectivamente, em parceria com Polícia Civil, Poder Judiciário e sociedade civil.

CONTEÚDO ABERTO | Leia todas as notícias sobre coronavírus

Os aparelhos vão passar por uma restauração antes de serem entregues. As melhorias começaram na sexta-feira (24), e serão realizadas pelo Projeto Social Dejone Rambor, associação sediada em Tramandaí que dá aulas de jiu-jitsu para crianças carentes.

A parceria prevê investimento de até R$ 5.625 oriundos da conta das penas alternativas da Vara de Execuções Criminais de Osório, para reparo dos aparelhos e compra dos chips com internet. “O objetivo do projeto é possibilitar que os alunos em situação de vulnerabilidade possam acompanhar as atividades desenvolvidas em ambiente virtual, especialmente durante o período de distanciamento controlado ocasionado pela pandemia do novo coronavírus. São smartphones sem interesse criminalístico”, explica o promotor de Justiça Criminal de Osório, Fernando Andrade Alves.

A estimativa é de que em duas semanas os aparelhos estejam prontos para a entrega nas escolas públicas com carregador de bateria e termo de compromisso. A ideia ainda é estender o projeto para outros municípios e servir de incentivo para ações semelhantes em outras regiões.

Alquimia II

O nome da ação é inspirado no Projeto Alquimia, uma iniciativa semelhante posta em prática pelo Ministério Público em relação a máquinas caça-niqueis. Os equipamentos apreendidos foram transformados em computadores e doados para escolas.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.