Publicidade
Acompanhe:
Notícias | Região Atenção!

Afogamentos acendem alerta para cuidados redobrados com as crianças no verão

Veja dicas para prevenir este tipo de acidente

Última atualização: 02.02.2020 às 21:54

Acidentes acendem alerta para cuidados no verão Foto: Pixabay
O afogamento é a segunda principal causa de morte na faixa etária dos 0 a 14 anos. Em 2017, 954 crianças e adolescentes perderam a vida na água, uma média de 2,6 óbitos por dia, de acordo com dados do Ministério da Saúde. Este tipo de acidente também está na sétima posição se tratando de hospitalização por motivos acidentais nesta faixa de idade.

Somente neste final de semana foram dois afogamentos de crianças na região. No caso mais recente, que terminou em tragédia, um bebê de apenas um ano de idade morreu (2) após se afogar em uma piscina, na cidade de Sapiranga. No sábado, uma criança de dois anos, moradora de Gravataí, precisou ser levada ao Hospital de Pronto Socorro de Porto Alegre em estado grave após se afogar em um açude. Na mesma cidade, no final do mês passado um menino morreu afogado nas águas do Rio Gravataí. O adolescente, de 13 anos, estava no Distrito Industrial acompanhado de amigos quando desapareceu nas águas. 

Todos estes casos, acendem o alerta: se tratando de água e crianças, o cuidado precisa ser sempre redobrado. Pensando nisso, os Bombeiros Militares do Rio Grande do Sul, em suas redes sociais, lançaram uma propaganda que mostra imagens de uma criança em situação de afogamento por descuido de um adulto. Segundo a campanha da corporação, um segundo pode ser fatal.  Assista:

Veja como prevenir acidentes*

- Após ingerir alimentos espere no mínimo uma hora para entrar na água.

- Evite pular na água em locais desconhecidos, pois muitas pessoas se acidentam batendo com a cabeça em pedras, galhos e no fundo de rios.

- Procure se banhar em locais onde haja guarda-vidas, pois a quase totalidade dos afogamentos acontece em locais desprotegidos.

- Respeite a sinalização do local e a orientação dos guarda-vidas.

- Ensine as crianças que nadar sozinhas, sem ninguém por perto, é perigoso.

- O colete salva-vidas é o equipamento mais seguro para evitar afogamentos. Evite boias e outros equipamentos infláveis.

- Muitos casos de afogamentos acontecem com pessoas que acham que sabem nadar. Não superestime a habilidade de crianças e adolescentes.

- Crianças devem aprender a nadar com instrutores qualificados ou em escolas de natação especializadas. Se os pais ou responsáveis não sabem nadar, devem aprender também.

- Fique atento! Crianças pequenas podem se afogar em qualquer recipiente com mais de 2,5 cm de água ou outros líquidos, seja uma banheira, pia, vaso sanitário, balde, piscina, praia ou rio.

- Ensine as crianças a não correr, empurrar, pular em outras crianças ou simular que estão se afogando quando estiverem na piscina, lago, rio ou mar.

*Fonte: ONG Criança Segura

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.