Publicidade
Acompanhe:
Notícias | País Caso Backer

Veja quais são os oito rótulos contaminados de cervejaria mineira

Segundo o ministério da Agricultura , as análises identificaram contaminação em 21 lote

Por Estadão Conteúdo
Última atualização: 17.01.2020 às 15:20

Cervejaria Backer vive crise após contaminação de lotes de cerveja Foto: Divulgação
O ministério da Agricultura identificou na última quinta-feira (16) a contaminação em outros seis produtos da cervejaria Backer, em Belo Horizonte, investigada por suposta relação com 18 casos de intoxicação - entre eles, 4 mortes. Ainda na quinta-feira, foram realizadas buscas em uma empresa que seria a fornecedora de pelo menos uma das substâncias encontradas nas cervejas.

A pasta identificou monoetilenoglicol e dietilenoglicol, substâncias tóxicas, em lotes das cervejas Capitão Senra, Pele Vermelha, Fargo 46, Backer Pilsen, Brown e Backer D2. A contaminação das cervejas Belorizontina e Capixaba, vendida no Espírito Santo, já havia sido identificada anteriormente.

Segundo o ministério, as análises identificaram contaminação em 21 lotes. O governo diz que todos os produtos da Backer estão sendo retirados do mercado. Na semana passada, a fábrica teve a interdição determinada pelo ministério.

A Polícia Civil cumpriu nesta quinta mandados de busca e apreensão em uma empresa de Contagem, na Grande BH, fornecedora de uma das substâncias que contaminaram as cervejas. "Recolhemos amostras, alguns documentos", afirmou o delegado Flávio Grossi.

Segundo ele, a empresa fornece produtos que "envolvem toda a cadeia de investigação, da contaminação inclusive". A Backer teria usado água contaminada na produção de bebidas, diz o ministério. E essa contaminação foi dentro da cervejaria - ainda não se sabe como. Um ex-funcionário da Backer e um ex-empregado da fornecedora deram depoimento.

Os registros de mortes e intoxicações investigadas aumentaram. Segundo a Secretaria de Saúde de Minas, são quatro mortes suspeitas de intoxicação por dietilenoglicol.

A Backer vem afirmando que usa só o monoetilenoglicol em seu processo produtivo e colabora com a investigação. 

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.