Publicidade
Botão de Assistente virtual
Notícias | Mundo GUERRA

Militares evitam avanço da Rússia no leste da Ucrânia, diz presidente ucraniano

Em seu discurso, Zelenski disse estar orgulhoso dos defensores ucranianos conseguindo conter o avanço russo na região de Donbas, no leste do país

Por Por Associated Press
Publicado em: 12.06.2022 às 18:56

O presidente da Ucrânia, Volodmir Zelenski, disse que ninguém sabe quanto tempo a guerra em seu país vai durar, mas que as forças ucranianas estão desafiando as expectativas, impedindo que as tropas russas controlem o leste da Ucrânia, onde os combates são ferozes há semanas. Em seu discurso noturno em vídeo, Zelenski disse estar orgulhoso dos defensores ucranianos conseguindo conter o avanço russo na região de Donbas, no leste do país, que faz fronteira com a Rússia e onde os separatistas apoiados por Moscou controlam grande parte do território há oito anos. "Lembram-se de como na Rússia, no início de maio, esperava tomar toda Donbas?", disse o presidente. "Já é o 108º dia da guerra, já em junho. Donbas está aguentando."

Depois de não conseguir capturar Kiev, capital da Ucrânia, no início da guerra, Moscou concentrou-se em apreender a parte de Donbas ainda em mãos ucranianas, bem como a costa sul do país. As forças russas têm arrastado uma longa e laboriosa batalha, em parte pelo uso militar de armas fornecidas pelo Ocidente pelo governo ucraniano.

Sievierodonetsk, uma cidade do leste com uma população pré-guerra de 100 mil, ainda está sendo disputada, disseram ambos os lados. A cidade e a vizinha Lysychansk são as últimas grandes áreas da província de Luhansk de Donbas que não estão sob controle dos rebeldes pró-Rússia.

Leonid Pasechnik, chefe do autodeclarado Partido Popular de Luhansk, disse que os combatentes ucranianos permaneciam em uma área industrial da cidade, incluindo uma fábrica de produtos químicos onde os civis se abrigaram durante um bombardeio russo de semanas. "Sievierodonetsk não está completamente 100% liberado", disse Pasechnik, alegando que a Ucrânia estava bombardeando a área fabril de Azot. "Então é impossível chamar a situação de calma em Sievierodonetsk, que é completamente nossa."

O governador de Luhansk, Serhii Haidai, informou que um grande incêndio ocorreu na fábrica no sábado (11) durante o bombardeio russo. Haidai disse por mensagens do Telegram que as forças russas ainda estavam bombardeando a fábrica de produtos químicos e destruíram uma segunda ponte ligando Sieverodonetsk e Lysychansk. Ele não disse quantos soldados ou civis estavam escondidos na fábrica.

Um funcionário da República Popular de Luhansk, Rodion Miroshnik, disse que 300 a 400 militares ucranianos permaneceram bloqueados dentro da fábrica de Sievierodonetsk juntamente com centenas de civis. Ele disse que esforços estão em andamento para tentar evacuar os civis, mas os militares só poderão sair se depuserem armas e se renderem.

Ao norte da cidade, ataque russo aos assentamentos na região de Kharkiv matou três pessoas, disse o governador Oleh Syniehubov neste domingo. Militares russos disseram que destruíram um grande depósito de armas no oeste da Ucrânia, enquanto autoridades locais afirmaram que ataques com mísseis feriram civis.

Em outros pontos da Ucrânia, uma contra-ofensiva empurrou os russos para fora de partes da região sul de Kherson tomada por eles no início da guerra, de acordo com Zelenski.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.