Publicidade
Botão de Assistente virtual
Notícias | Mundo GUERRA

‘Putin não pode conseguir fugir da Justiça’, diz ex-premiê britânico que pede julgamento em tribunal especial

Ucrânia e ex-primeiro-ministro britânico querem julgamento do presidente da Rússia

Por Estadão Conteúdo
Publicado em: 04.03.2022 às 11:41 Última atualização: 04.03.2022 às 11:45

O governo da Ucrânia e o ex-primeiro-ministro britânico Gordon Brown estão fazendo pressão para que um tribunal criminal especial julgue o presidente russo, Vladimir Putin, e seus aliados pela invasão da Ucrânia. Brown diz que a proposta de uma corte para investigar o "crime de agressão" se baseia em tribunais que julgaram nazistas de alto escalão após a Segunda Guerra Mundial.

Ucrânia e ex-primeiro-ministro britânico querem julgamento do presidente da Rússia
Ucrânia e ex-primeiro-ministro britânico querem julgamento do presidente da Rússia Foto: Divulgação

O Tribunal Internacional de Crimes de Guerra, na cidade holandesa de Haia, já está apurando acusações de que a Rússia cometeu crimes de guerra na Ucrânia. Mas embora a corte possa investigar genocídio, crimes contra a humanidade e crimes de guerra, a Rússia não é signatária de um estatuto separado do tribunal pelo qual países se comprometem a não cometer "crimes de agressão".

Brown disse que o "ato de agressão da Rússia" não pode ficar impune e sem julgamento. "Putin não pode conseguir fugir da Justiça", enfatizou o ex-premiê.

Ministro de Relações Exteriores da Ucrânia, Dmytro Kuleba elogiou a proposta de um tribunal especial, que também é apoiada por especialistas legais e acadêmicos de várias partes do mundo.

"Estamos lutando contra um inimigo bem mais forte do que nós. Mas a lei internacional está do nosso lado", disse Kuleba a uma reunião em Londres, por meio de videoconferência a partir da Ucrânia.

Fonte: Associated Press.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.