Publicidade
Acompanhe:
Notícias | Especial Coronavírus Materiais como tecidos e TNT

Voluntários produzem máscaras para doar a quem precisa

Parceiros Voluntários pede que população doe materiais para a confecção

Por Bruna Aquino
Última atualização: 30.03.2020 às 17:48

Máscaras serão entregues à Defesa Civil Foto: Parceiros Voluntários/Divulgação
O temor que acompanha a população pela pandemia do coronavírus fez com que produtos como álcool em gel e máscaras descartáveis desaparecessem do comércio. Com isso, quem precisa desse tipo de material acaba não encontrando. Mas a solidariedade de alguns voluntários está mudando - e colorindo - esse cenário. Em Canoas, costureiras confeccionam nas próprias casas máscaras a partir de materiais como tecidos, TNT e pano descartável de limpeza.

"São três costureiras que estão produzindo as máscaras. Estamos arrecadando os materiais e precisamos de tecidos, elásticos, linha, TNT e perfex. Uma das costureiras viu um vídeo de máscaras com perfex e achamos mais higiênico", conta a coordenadora-executiva da Parceiros Voluntários em Canoas, Jeane Kich. "Com 1 metro de TNT dá para fazer 20 máscaras", acrescenta.

A iniciativa começou em Bento Gonçalves e está sendo adotada por outros municípios. A ideia, segundo a coordenadora, é produzir as máscaras e entregar à Defesa Civil para que sejam destinadas a quem mais precisa, "como idosos ou pessoas que precisem entrar nos hospitais, não quem trabalha". "É simples de fazer e de muita ajuda", completa. 

Quem tiver algum desses materiais e quiser doar pode entrar em contato com Jeane no telefone 98192-6271. E ninguém precisa sair de casa para contribuir: os tecidos e demais itens serão buscados na casa do doador.

Eficácia das máscaras

Apesar do desespero de muitas pessoas em usar máscaras, os especialistas afirmam que elas têm funções específicas: a máscara funciona apenas para evitar a disseminação do vírus por quem apresenta sintomas e para proteger os profissionais de saúde, que atendem pacientes infectados. E isso vale tanto para as máscaras artesanais quanto para as outras.

"É muito importante destacar que, depois de 30 minutos de uso, ela já deixa o vírus passar. Precisa ir para o lixo. Usá-la sem necessidade, ao contrário, aumenta o risco de infecção, pois a tendência é que a pessoa fique colocando a mão no rosto toda hora para ajustar a máscara e esse é um dos principais comportamentos de risco. Por isso, não usem máscaras se não tiverem sintomas", alerta o professor de Infectologia do curso de Medicina da Santa Casa de Misericórdia e da Ulbra Cláudio Marcel Berdum Stadnik.

Costurando o bem

Moradora do bairro Niterói, a decoradora de festas Vanessa Pagano é uma das voluntárias engajadas nessa rede de solidariedade. Ela improvisou uma sala de costura no próprio quarto para ajudar quem precisa e já centenas de máscaras de TNT. Somente nesta quinta-feira (26), ela encaminhou mais de 200.

"Tirei minha máquina que estava aposentada na garagem. Dei uma ajeitada, coloquei um óleo e coloquei pra dentro do meu quarto. Improvisei para fazer alguma coisa", conta. Além do TNT, Vanessa recebeu tecidos coloridos para confeccionar as máscaras. Quem precisar de máscara pode contatar Vanessa pelo telefone 99392-6800.

"Eu gosto de ajudar"

Marli tem feito máscaras com panos de limpeza descartáveis Foto: Paulo Pires/GES/PAULO PIRES/GES
Há sete anos atuando como integrante da Parceiros Voluntários em Canoas, a costureira Marli Rocha não pensou duas vezes e tratou de procurar algo para fazer para ajudar quem precisa em meio à pandemia do coronavírus. "Antes de me reunir com a Jeane eu já tinha conversado com alguns amigos voluntários para ver o que era possível fazer e chegamos à conclusão das máscaras. Procurei uns vídeos na internet e estou me baseando neles. É muito prático", explica Marli, comentando que confecciona máscaras usando pano de limpeza descartável e atilio (borrachinha de dinheiro). "Estou fazendo de perfex. Recebi três pacotes e meio de doação."

Marli conta que a própria Defesa Civil do município indicou esse tipo de material como o mais recomendado para confecção das máscaras. "Se eu fizesse por unidade, daria 150, mas vou fazer dupla, que daí a gente sabe que não passa nada. Então, farei 75 máscaras." Segundo ela, em cerca de quatro minutos a máscara está pronta para uso. "É só fazer as dobraduras, passar na máquina e botar o elástico." 

A vontade de ajudar vem de longa data e só floresceu um pouco mais com a chegada do coronavírus. "Sou uma pessoa que gosta de estar sempre ajudando. Tive um câncer de mama há alguns anos, tive uma infância difícil e perdi toda minha casa num temporal de pedra que teve há alguns anos. Então eu sempre gosto de estar envolvida, de ajudar os outros." E ela não pretende parar nessas 75 máscaras, que logo devem ser entregues à Defesa Civil. "Eu pretendo fazer mais. Se alguém tiver material, é só me trazer que eu produzo mais máscaras." Quem quiser contribuir pode ligar para Marli no telefone 98193-9633. 

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.