Publicidade
Botão de Assistente virtual
Notícias | Cachoeirinha CACHOEIRINHA

Suspeitos de assassinato e ocultação do corpo de jovem desaparecido são presos

Motivação para o crime, de acordo com delegado, foi desavença com a vítima, que sumiu após ser convidada para suposta festa pelos investigados

Por Redação
Publicado em: 18.10.2022 às 12:06 Última atualização: 18.10.2022 às 12:07

Dois jovens suspeitos pelo assassinato e ocultação do corpo de um jovem, que havia desaparecido no final de setembro em Cachoeirinha, foram presos. Ambos têm 20 anos e eram moradores do munícipio da região metropolitana.

Luiz Felipe foi encontrado morto após desaparecimento
Luiz Felipe foi encontrado morto após desaparecimento Foto: Polícia Civil/Reprodução
Um dos detidos foi capturado em Cachoeirinha no dia 15 de outubro, e o outro, na noite de segunda-feira (17) em Gravataí, para onde fugiu após o crime, segundo o titular da 2ª Delegacia de Polícia de Cachoeirinha, o delegado Carlos Eduardo da Silva de Assis. 

Corpo encontrado em cova

O corpo de Luiz Filipe Moreira, 19, foi encontrado em uma cova em área de mata fechada, local de díficil acesso do bairro Jardim do Bosque, no dia 4 de outubro. 

A motivação do crime, de acordo com Silva de Assis, foi um desentendimento entre a vítima e um dos investigados.

A causa da morte ainda deve ser confirmada pelo Instituto-Geral de Perícias (IGP). Contudo, o delegado acredita que tenha sido por esganadura e asfixia "pelo estado que encontramos o corpo e confissão dos autores e outros elementos".

Vítima foi convidada para suposta festa

Luiz Felipe desapareceu após sair de casa em 23 de setembro, dia do crime. Na ocasião, ele foi convidado para um festa por um dos presos. Em depoimento à Polícia Civil, os jovens confirmaram que o responsável pelo convite foi o suspeito que tinha uma desavença com a vítima.

Eles ainda contaram outros detalhes do crime, inclusive que a cova onde o corpo foi ocultado havia sido feita antes mesmo de chamarem Luiz Felipe para o suposto evento.

O suspeito em desentendimento com a vítima ainda confessou que a morte foi por esganadura na casa do comparsa, no mesmo bairro onde o corpo foi encontrado, e que "ficou com os pulsos doloridos por alguns dias pela força empregada para apertar o pescoço da vítima", afirma o delegado.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.