Publicidade
Botão de Assistente virtual
Notícias | Cachoeirinha OPERAÇÃO SEM SINAL

Polícia prende integrantes de quadrilha investigada por furtos e arrombamentos em residências de Cachoeirinha

Com os três suspeitos presos foram apreendidos cinco carros e quatro televisores; um homem segue foragido

Por Redação
Publicado em: 23.09.2022 às 16:02 Última atualização: 23.09.2022 às 17:31

Três pessoas foram presas preventivamente em Cachoeirinha, suspeitas de realizarem mais de 50 furtos qualificados por arrombamentos em residências do município. Entre os investigados está um homem, de 32 anos, dono de um lava-jato em Canoas e suspeito de fornecer veículos para os furtos, e uma mulher, 20, que mantinha relacionamento com o primeiro suspeito. O outro homem, 47, era o responsável direto pelos furtos, segundo o delegado Carlos Eduardo Silva de Assis, titular da Delegacia de Polícia da cidade. Com os suspeitos, foram apreendidos cinco veículos e quatro televisores smart.

Quadrilha é investigada por arrombamentos e furtos em residências de Cachoeirinha
Quadrilha é investigada por arrombamentos e furtos em residências de Cachoeirinha Foto: Reprodução

A ação, que foi efetuada entre quarta (21) e quinta-feira (22) faz parte terceira fase da operação Sem Sinal, que investigava o grupo há cerca de três meses. Na segunda-feira (19), um outro homem foi preso em Canoas com U$$ 259 mil em espécie, mais de R$ 35 mil em equipamentos eletrônicos e um carro Onix Plus no valor de R$ 100 mil. Ele é suspeito de integrar a quadrilha investigada. De acordo com Assis, "o papel dele era vender mercadorias roubadas". 

Conforme o delegado, a investigação apontou que a quadrilha aproveitava o momento que as residências estavam sem moradores, quando os residentes geralmente saiam para trabalhar, para arrombar e/ou destruir a porta e, logo após, furtar diversos aparelhos eletrônicos, em especial televisores smarts de 50, 55 e 65 polegadas, dinheiro, joias, perfumes e outros objetos pessoais.

"Após os furtos, os objetos subtraídos eram repassados para o líder do bando que os revendia por um preço bem abaixo do mercado", explica Assis. Este quarto indivíduo, de 31 anos, está foragido. 

Ainda conforme o delegado, o modus operandi utilizado pelo grupo é narrado em pelo menos 75 ocorrências policiais nos últimos doze meses.

Confira imagens

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.