Publicidade
Botão de Assistente virtual
Cotidiano | ABC Pra Você | Viver com saúde SAÚDE

SETEMBRO AMARELO: Psicólogo explica a diferença entre depressão e tristeza

Tratamento da doença depende de uma avaliação profissional, para que seja possível encaminhar a melhor abordagem; entenda

Por Redação
Publicado em: 11.09.2023 às 15:51 Última atualização: 11.09.2023 às 16:59

A depressão ganha destaque durante o Setembro Amarelo, por conta das características que a doença manifesta. A campanha conscientiza sobre valorização da vida, promovendo debates sobre as causas que podem levar ao suicídio, como os transtornos mentais, além de dar destaque aos cuidados com a saúde mental.


A depressão é um transtorno mental que acaba afetando a vida pessoal, profissional e emocional de uma pessoa | Jornal NH
A depressão é um transtorno mental que acaba afetando a vida pessoal, profissional e emocional de uma pessoa Foto: Adobe Stock

Caracterizada por sentimentos negativos como isolamento social, irritabilidade, pessimismo, autoestima baixa, tristeza e outros sintomas, a depressão é um transtorno mental que acaba afetando a vida pessoal, profissional e emocional de uma pessoa. O tratamento da doença depende de uma avaliação profissional, para que seja possível encaminhar a melhor abordagem.

O psicólogo da Hapvida NotreDame Intermédica, Benevides Silva, ressalta que, primeiramente, é importante reforçar a diferença entre a depressão, uma doença, e a tristeza, uma emoção.


Publicidade
"A depressão é um transtorno caracterizado pela tristeza persistente e pela falta de interesse e prazer nas atividades que antes eram gratificantes e agradáveis, caracterizada pelo mau humor, sentimento de vazio, desesperança e desânimo. Já a tristeza é um sentimento que pode ocorrer por diversos motivos, em vários momentos da vida e é autolimitado. Por outro lado, quando prolongada, pode ser um dos sintomas do quadro depressivo”, explica Silva.

Tratamento adequado depende de avaliação


Publicidade
Para o psicólogo, buscar ajuda profissional é extremamente necessário. “Alguns dos pacientes podem requerer um tratamento multidisciplinar com psicofármacos, para amenizar os sintomas depressivos, e a psicoterapia que vai ajudar a trabalhar o bem-estar psicológico do indivíduo, e fazer com que ele compreenda qual o seu papel no tratamento, incentivando-o a combater os sintomas, o sedentarismo, curar ressentimentos antigos e ser mais assertivo em suas escolhas”, ressalta.

“Remédios naturais” também ajudam


Publicidade
De acordo com o profissional, outras atividades também podem contribuir com o tratamento, como exercícios físicos. “Essas atividades são ótimos remédios naturais para a depressão e outros transtornos mentais. Ao movimentar o nosso corpo por pelo menos 20 minutos por dia, você estimulará a produção e a liberação dos hormônios da felicidade, que são a endorfina, a serotonina e a dopamina. Sair de casa com amigos ou com a família, meditar, realizar um trabalho voluntário, ter um hobby, exercitar a gratidão, encontrar grupos de apoio, fazer cursos e aproximar-se da natureza também auxilia no tratamento da depressão”, destaca o psicólogo.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.