VOLTAR
FECHAR

Av. Dorival Cândido Luz de Oliveira, 6423 (parada 63) - Monte Belo - Gravataí - CEP: 94050-000
Fones: (51) 3489-4000

Central do Assinante: (51) 3600.3636
Central de Vendas: (51) 3591.2020
Whatsapp: (51) 99101.0318
PUBLICIDADE
Motores

Elétricos começam a tornar-se realidade no Brasil

Conheça os principais modelos que serão vendidos em 2019.

Foto por: Adair Santos/GES-Especial
Descrição da foto: Chevrolet Bolt

São Paulo - Os carros elétricos finalmente tornam-se realidade no mercado brasileiro e chegam repletos de tecnologia, mas com preços ainda estratosféricos. Os principais modelos que serão vendidos no País estão sob os holofotes durante o Salão do Automóvel de São Paulo (8 a 18 de novembro): Chevrolet Bolt (R$ 175 mil), Nissan Leaf (R$ 178,4 mil), Renault Zoe (R$ 149 mil) e Audi e-Tron (cerca de R$ 400 mil). 

A Audi também confirmou, para o mercado nacional ainda em 2019, além do e-Tron, outros quatro híbridos leves. Já a Honda anunciou que trará três híbridos para o Brasil nos próximos 5 anos, enquanto a Volkswagen revelou que nos próximos anos serão 5 modelos eletrificados. Um deles é o Golf GTE, que será vendido no Brasil no segundo semestre de 2019.


Quarta maior do planeta, a mostra brasileira foi aberta ao público no último dia 8 com novidades focadas na mobilidade e sustentabilidade, com os híbridos e elétricos em destaque. Antes disso, as novidades foram antecipadas à imprensa durante dois dias de coletivas.

Viagem a convite da Anfavea


Chevrolet Bolt: R$ 175 mil

Carregado na tomada, é 100% elétrico e roda 383 km com uma carga. Os freios são regenerativos e a aceleração de 0 a 100 km/h ocorre em 6,5 s. Pode ser testado pelo público no salão.

Renault Zoe: R$ 149 mil


O Zoe tem autonomia superior a 300 km (ciclo WLTP), graças à bateria Z.E. 40. Plugado em uma corrente trifásica de 22 kW, leva 1h40 para chegar 80% de sua carga total.

Nissan Leaf: R$ 178,4 mil

O e-Powertrain gera 150 cv de potência e 32,65 kgfm de torque. O tempo para recarga normal é de 8 h, mas para repor 80% são necessários apenas 40 min.

Audi e-Tron: R$ 400 mil 

Há dois motores elétricos, um para cada eixo, que juntos desenvolvem 408 cv e 67,7 kgfm de torque. SUV pode tem 400 km de autonomia, acelerando de 0 a 100 km/h em 5,7 s e atingindo 200 km/h. 



GM Bolt EV chegará ao Brasil em 2019

Elétrico foi confirmado na manhã desta terça-feira por R$ 175 mil.

O Salão do Automóvel de São Paulo será aberto ao público nesta quarta-feira (8) com novidades focadas na mobilidade e sustentabilidade. Antes disso, a mostra brasileira antecipa as novidades à imprensa.

A maratona de coletivas foi aberta nesta terça-feira (6) pela GM, que mostrou o novo Camaro (chega ao País em meados de janeiro de 2019) e o elétrico Bolt EV, confirmado para o Brasil ainda em 2019 por R$ 175 mil. A montadora não estipulou o mês de lançamento do elétrico, mas estima que seja no primeiro semestre.

Foto por: Adair Santos/GES-Especial
Descrição da foto: GM confirmou lançamento do Bolt EV para 2019

Foto por: Adair Santos/GES-Especial
Descrição da foto: Elétrico Bolt EV, da GM, chegará ao mercado nacional custando R$ 175 mil

Outra novidade diz respeito à conectividade: seus modelos passarão a contar com wi-fi a bordo e Internet 4G. A empresa comemora 36 meses de liderança de mercado, muito em parte, devido ao sucesso do gaúcho Onix, que ultrapassou recentemente a marca de 1 milhão de unidades. "Teremos 30 lançamentos até 2022 para continuaremos líderes", adiantou o vice-presidente da GM Mercosul, Marcos Munhoz.


Viagem a convite a Anfavea.

O McLaren que homenageia Senna

Modelo custa R$ 8 milhões e estará exposto no Salão do Automóvel de São Paulo.

Quem gosta de carro e é fã de Ayrton Senna tem motivos extras para visitar o Salão do Automóvel de São Paulo (8 a 18 de novembro). Modelo de rua mais radical já produzido pela fábrica inglesa, o superesportivo McLaren Senna será uma das grandes estrelas da mostra.


Com uma suspensão de última geração, tem outros elementos aerodinâmicos ativos, incluindo o gigantesco aerofólio traseiro duplo controlado por um sistema hidráulico. O McLaren Senna produz até 800 kg de downforce, 200 kg a mais que o McLaren P1.


Na impactante cor Delta Red, a supermáquina é uma das 500 unidades que estão sendo produzidas na McLaren Automotive, em Woking, Inglaterra, e que foram imediatamente comercializadas. Três delas para o mercado brasileiro e por aproximadamente R$ 8 milhões (!!!) cada. A primeira deve chegar ao País até o final do primeiro semestre de 2019. Um luxo para fãs com a conta bancária bem diferenciada.

Motor V8 de 800 cv


O mais rápido carro de rua de toda a história da McLaren tem desempenho incrível: acelera 0 a 100 km/h em 2,8 s e de 0 a 200 km/h em 6,8 s, atingindo velocidade máxima de 340 km/h. O segredo está no V8 biturbo 4.0 que gera 800 cv e 81,63 kgfm de torque, dos quais 71,42 kfgm disponíveis a apenas 3.000 rpm.

Freios poderosos


Equipado com pneus especiais Pirelli P Zero Trofeo R 245/35 ZR 19 na frente e 315/30 ZR 20 na traseira, que envolvem as rodas em alumínio ultraleves com uma porca central, exatamente como em um carro de competição, o modelo vem com freios a disco de cerâmica de carbono, que têm um desenvolvimento sete vezes mais demorado do que um disco de cerâmica de carbono convencional.

O carro usado pelo mito


Além do exclusivo esportivo, a marca Senna também vai expor no salão o carro de corrida de Fórmula 1 MP4/6 utilizado por Ayrton em 1991, quando conquistou a sua primeira vitória no Grande Prêmio do Brasil, em Interlagos. A imagem do piloto erguendo o troféu com grande dificuldade devido ao desgaste físico marcou uma geração inteira.

Renovado e mais em conta

Linha 2019 recebe facelift, novos equipamentos e ainda tem os preços reduzidos em até R$ 8 mil.

Novo visual, mais equipamentos e preços até R$ 8 mil menores. A linha 2019 do Jeep Renegade chega às lojas com novidades para manter as vendas em alta. Fabricado no Brasil, desde seu lançamento, em abril de 2015, já emplacou mais de 160 mil unidades.

Além das leves mudanças frontais, as rodas ganharam novos desenhos em todas as configurações. Na Limited, são no tamanho 19”, medida exclusiva no segmento e que têm duas inéditas opções de cor, de acordo com a pintura da carroceria. No caso da tonalidade cinza antique, os contornos das aberturas da grade dianteira e as rodas são grafite. Se o veículo for deep brown, esses detalhes têm acabamento bronze, com a grade grafite. Nas demais tonalidades da Limited, a grade, as rodas e outros pontos são em prata acetinado. Além disso, há duas novas pinturas: jazz blue e billet silver, essa exclusiva para a Longitude.

As versões Flex recebem para-choque dianteiro com ângulo de ataque de até 28° (nas configurações Diesel, chegam a 30º), reduzindo riscos de raspar em desníveis, como garagens de prédios e shoppings. Modelo é equipado com controles de estabilidade (ESC) e de tração, suspensão independente nas quatro rodas, freio de estacionamento eletrônico, tela multifuncional no quadro de instrumentos e rodas em liga-leve.

As opções de motores seguem as mesmas: flex 1.8, que desenvolve 139 cv com álcool e 135 cv com gasolina, bem como torque de 19,2 kgfm e 18,7 kgfm,respectivamente, e turbodiesel de 170 cv e 35,7 kgfm.


Leves retoques

Com mudanças que remetem cada vez mais ao icônico Wrangler, o Renegade recebe leve reestilização. As as sete fendas da grade estão um pouco mais baixas. Nas versões Limited e Trailhawk, os faróis agora são em LED, tanto os principais quanto os de neblina, bem como as luzes diurnas (DRL). Além da questão estética, esse conjunto de iluminação tem alcance 50% superior ao padrão atual (de lâmpadas halógenas) e também está disponível como opcional nas opções Longitude.

Praticidade

A tampa traseira ganhou uma maçaneta externa, que torna a abertura mais fácil e ergonômica. Outra novidade é que o porta-malas de todas as versões agora comporta 320 l, aumento de 47 l graças à adoção do estepe temporário, já introduzido nas versões Flex no início deste ano. A exceção é o Trailhawk, que manteve o estepe full size por conta de sua vocação maior para o fora-de-estrada.


Novos equipamentos de série

Confira os novos itens que passaram a ser de série em cada versão:

1.8 Flex automático de 6 marchas (PCD): rodas em liga-leve aro 16’’

Sport 1.8 Flex manual de 5 marchas e automático de 6 marchas: sistema multimídia Uconnect com tela sensível ao toque de 5”, câmera de ré e novas rodas em liga-leve aro 17” (automático de 6 marchas)

Longitude 1.8 Flex automático de 6 marchas e 2.0 Diesel automático de 9 marchas 4x4: multimídia Uconnect de 8,4“, compatível com interfaces Android Auto e Apple Car Play, controle do ar-condicionado pelo monitor ou comandos de voz e novas rodas em liga aro 18”

Limited 1.8 Flex automático de 6 marchas: faróis principais e de neblina em LED, luzes diurnas em LED, dois air bags laterais, dois de cortina e um para os joelhos do motorista e novas rodas em liga aro 19”

Trailhawk 2.0 Diesel automático de 9 marchas 4x4: faróis principais e de neblina em LED, luzes diurnas em LED e novas rodas em liga aro 17”


Mais conectividade

A partir das versões Longitude, o SUV passa a contar com a tela multimídia de 8,4’’, que faz parte do mesmo sistema Uconnect do Jeep Compass. Dessa forma, é possível parear o smartphone por meio das interfaces Android Auto e Apple Car Play, para acessar pelo monitor do veículo aplicativos de navegação, como Google Maps e Waze e de música, a exemplo do Spotify e Deezer, apenas para citar alguns.


O Uconnect 8,4” permite ainda acessar as funções do ar-condicionado remotamente, por toques no monitor ou via comandos de voz. O tempo de resfriamento da cabine, em qualquer versão, ficou 20% mais rápido, graças a melhorias no sistema.


Nas configurações Sport 1.8 Flex, com câmbio manual ou automático, o modelo traz de série o Uconnect 5”, com tela de toque e câmera de ré incorporada. A segunda entrada USB, que ficava dentro do porta-objetos central, agora está voltada para os passageiros traseiros.


Porta-objetos

Na cabine, a área central foi redesenhada. Os comandos do ar-condicionado são novos, bem como os porta-objetos, mais numerosos e espaçosos – tanto o que fica à frente da alavanca do câmbio quanto o posicionado entre as poltronas, onde se abriu um novo nicho, para acomodar itens como um telefone celular. Nas versões Diesel, o botão giratório do Selec-Terrain subiu um pouco para gerar mais amplitude na área ao redor.



OS PREÇOS

1.8 Flex automático de 6 marchas: (exclusivo para PCD): R$ 69,99 mil

Sport 1.8 Flex manual de 5 marchas: R$ 78,49 mil (redução de R$ 7 mil)

Sport 1.8 Flex automático de 6 marchas: R$ 83,99 mil (redução de R$ 8 mil)

Longitude 1.8 Flex automático de 6 marchas: R$ 96,99 mil (valor igual)

Limited 1.8 Flex automático de 6 marchas: R$ 103,49 mil

Longitude 2.0 Diesel automático de 9 marchas 4x4: R$ 125,49 mil

Trailhawk 2.0 Diesel automático de 9 marchas 4x4: R$ 136,39 mil

Fonte: Fiat