Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Av. Dorival Cândido Luz de Oliveira, 6423 (parada 63) - Monte Belo - Gravataí - CEP: 94050-000
Fones: (51) 3489-4000

Central do Assinante: (51) 3600.3636
PUBLICIDADE
Golpe

Estelionatário gaúcho é preso em São Paulo por se passar por policial federal

Ele é acusado de dezenas de casos de estelionato, na maioria contra mulheres, quando se passou por agente federal e enganou as pessoas para obter dinheiro
26/07/2019 21:53 26/07/2019 21:55

Um gaúcho foi preso por policiais federais em um shopping de São Paulo na última quarta-feira (24) no momento em que tentava fugir da Polícia. Ele é acusado de dezenas de casos de estelionato, na maioria contra mulheres, quando se passou por agente federal e enganou as pessoas para obter dinheiro. O preso, que não teve a identidade divulgada, foi conduzido até a carceragem da Polícia Federal em Porto Alegre na quinta-feira (25).


A investigação iniciou em março deste ano com uma denúncia sobre a atuação do suspeito. Em alguns casos ele inclusive fez ameaças para obter dinheiro ou então garantir o silêncio das pessoas com que se relacionava.


O homem se apresentava como policial federal e integrante de um grupo tático da PF. A partir daí mantinha relacionamentos afetivos com mulheres e prometia vantagens para elas, parentes e amigos das vítimas, como vistos norte-americanos, passaportes e mercadorias apreendidas por valores abaixo do mercado. Quando as promessas não eram atendidas, ele ser tornava agressivo e partia para ameaças. Sabe-se que foram feitas vítimas em pelo menos quatro estados: Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná e São Paulo.


Segundo a PF, qualquer pessoa que tenha sido enganada pelo criminoso pode procurar a unidade da Polícia Federal mais próxima e fazer uma denúncia. Ele permanecerá preso na carceragem até obter vaga no sistema prisional gaúcho.

Diário de Cachoeirinha
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE