Publicidade
Acompanhe:
Notícias | Região Economia

Polo da Química ganha forma

Expectativa é boa após assinatura de protocolo de empresas interessadas na área

Última atualização: 11.09.2019 às 08:15

Montenegro - A terceira maior indústria do Rio Grande do Sul, com faturamento anual de R$ 76 bilhões e responsável por 12% do Produto Interno Bruto (PIB) gaúcho, agora tem novo espaço para se desenvolver. É o Polo da Química, localizado no Distrito Industrial de Montenegro, no Vale do Caí. Nesta segunda-feira o projeto tomou forma com a assinatura do protocolo de intenções de sete empresas que demonstraram interesse em se instalar no local. São três indústrias de Cachoeirinha, uma de Campo Bom e três de Porto Alegre, que em breve vão ocupar uma área com cerca de 700 hectares.

Localizado ao lado do Polo Petroquímico de Triunfo, o espaço é a nova aposta da prefeitura montenegrina para garantir desenvolvimento, emprego e renda. "Já nos disseram que é um dos melhores distritos industriais do Estado, pois tem toda a expertise do Polo, que fica ao lado, com infraestrutura de água luz, gás e três modais de transporte", destaca o prefeito Carlos Eduardo Müller (Kadu). A tendência é de que as indústrias comecem a operar a partir de 2021 e o investimento nesta etapa chegue a R$ 200 milhões.

EXPECTATIVAS

O presidente do Sindicato das Indústrias Químicas do Rio Grande do Sul (Sindiquim-RS), Newton Mario Battastini, que articulou as negociações junto com a prefeitura e o governo do Estado, aposta que mais empresas demonstrarão interesse em se instalar no novo polo. "O nosso objetivo era localizar uma área que tivesse as condições necessárias de permitir o crescimento das empresas", garante. Para o secretário estadual de Desenvolvimento Econômico e Turismo, Ruy Irigaray, que também participou do ato de assinatura, o Polo da Química é um projeto de Estado, voltado para o fomento de desenvolvimento do Rio Grande do Sul.

Negociações ocorriam desde 2017

Em 18 de dezembro de 2018, o então governador José Ivo Sartori assinou um protocolo de intenções para levar adiante o Polo Integrado de Química de Montenegro e Triunfo. O acordo foi firmado entre as prefeituras de Montenegro e Triunfo, o Comitê de Fomento Industrial dos Municípios (Cofitm) e o Sindiquim. A implantação de um polo químico regional já era debatida desde 2017.

Expectativa de mais oportunidades

A diretora da Escola Estadual Técnica São João Batista, Juliana Cabreira Bender, diz que a notícia da criação do polo é vista com boas expectativas na instituição. A São João forma e capacita profissionais na área de Química. Como deverá haver maior oferta de vagas de estágio e de emprego na área, a expectativa da instituição é que sejam abertas mais vagas.

No entanto, Juliana salienta que esta decisão caberá à Secretaria Estadual de Educação. Atualmente, o colégio tem 130 alunos matriculados no curso de técnico em Química, que tem duração de dois anos e meio, com turmas no diurno e noturno.

Quais são as empresas

Crivela

Fundada em 1928 em Porto Alegre, em 1962 passou a se chamar Crivela Laboratório Industrial. Foi a primeira indústria do Brasil a produzir, comercialmente, sabão em pedra. Hoje atua na linha de produtos institucionais, para hotelaria, indústria metalmecânica, lavanderias e cozinhas profissionais, fornecendo detergentes, desengraxantes, desinfetantes e sabonetes líquidos, para todo o Brasil. A empresa também tem filiais em Cachoeirinha e Manaus (Amazonas).

Quimicamar

Atuando no mercado desde 1992 e com sede em Cachoeirinha, a Quimicamar atua na comercialização e distribuição de produtos químicos. Conforme o proprietário Maurício Martins Reis, em Montenegro a intenção é montar uma nova unidade, com a expectativa de abertura de até 30 vagas. O empresário destaca a localização do polo, importante para atender os clientes do interior do Estado.

Botanik

A Botanik, instalada em Campo Bom, atua no mercado de cosméticos, saneantes (limpeza) e cosméticos veterinários desde 1997. Hoje, conta com 26 funcionários. Segundo a farmacêutica Cristina Lewis Foerster, a direção ainda não decidiu qual será o futuro da indústria e vai analisar o mercado ao longo dos próximos dois anos. Desta maneira, vai avaliar se permanece instalada no município campo-bonense, se transfere atual a planta para o polo de Montenegro ou se amplia a empresa, criando uma nova unidade. "A estrutura apresentada em Montenegro é muito boa, com estação de tratamento de água, inclusive", destaca Cristina.

Memphis

No mercado há 70 anos, Memphis é a quinta maior empresa do segmento de sabonetes no Brasil. Com matriz em Porto Alegre, filial em Portão e centros de distribuição em São Paulo, Rio de Janeiro, Cachoeirinha, Bahia, Paraíba, Minas Gerais e Pernambuco, o diretor comercial Carlos Valotta diz que a indústria não para de olhar para o futuro. "Esse possível investimento visa a expansão e o fortalecimento dos nossos negócios. Nesse sentido, está em estudo a extensão dos negócios em Montenegro", informa.

Kresil

Desde 1967, a Kresil atua no mercado de tintas e tem sede em Porto Alegre.

Rochadel

Com o nome comercial D'agua Natural, a empresa com sede em Porto Alegre foi criada em 1987 e atua no ramo de cosméticos, com produtos para estética corporal em todo o Brasil.

Tecpon

Criada em 1995, a Tecpon tem sede em Cachoeirinha e atua com produtos de limpeza para cozinha.

Prefeitura prepara lei de incentivo

Embora esteja localizado em Montenegro, o terreno do distrito industrial é do governo do Estado. No local, já existem empresas instaladas na área de produção de máquinas agrícolas, logística e de acessórios automotivos, entre outras. O prefeito Kadu estima que em torno de 50 hectares sejam destinados para o Polo da Química.

Para estimular a instalação de novas empresas do setor, a prefeitura está criando uma lei que regulamenta incentivos fiscais e serviços como a terraplanagem. "Tenho certeza que mais empresas virão. Na segunda ainda escutei alguns nomes circulando de indústrias que demonstraram interesse de conhecer o distrito", disse Kadu.

O distrito conta com iluminação, saneamento, vias pavimentadas e sistema de comunicação por fibra óptica, além de transporte ferroviário, hidroviário e rodoviário, com fácil acesso à BR-386. Os lotes serão negociados para as empresas químicas interessadas em se instalar no local ao custo aproximado de R$ 40 mil por hectare.

Contratação de mão de obra local

O Sindiquim avalia que o mais demorado a partir de agora serão os processos burocráticos, que incluem licenças ambientais e de órgãos específicos, como a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). Sobre a mão de obra necessária para operar as indústrias, Battastini acredita que as empresas devem utilizar a expertise já existente dentro das plantas em funcionamento, mas também vão contratar funcionários do município. "O setor plástico também deve se instalar ali, principalmente a partir de agora, que finalmente o projeto saiu do papel", projeta.

SAIBA MAIS

O Polo da Química de Montenegro será vizinho do Polo Petroquímico de Triunfo, um complexo industrial formado por seis empresas: Arlanxeo, Braskem, BRK Ambiental, Innova, Oxiteno e White Martins. Atualmente, conta com aproximadamente 6,3 mil funcionários, distribuídos em todo o complexo. Localizado a 52 quilômetros de Porto Alegre, o acesso é facilitado pela BR-386 (Tabaí-Canoas).

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.