Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Av. Dorival Cândido Luz de Oliveira, 6423 (parada 63) - Monte Belo - Gravataí - CEP: 94050-000
Fones: (51) 3489-4000

Central do Assinante: (51) 3600.3636
Central de Vendas: (51) 3591.2020
Whatsapp: (51) 99101.0318
PUBLICIDADE
Amor de torcedor

Mãe grava reação de gêmeos rivais após Gre-Nal decisivo

Cada um dos meninos de sete anos torce para um dos times
18/04/2019 13:34 18/04/2019 14:01

Foto por: Arquivo pessoal
Descrição da foto: Miguel e Mateus, de sete anos, um gremista e o outro, colorado
"Isso que dá ter um Gre-Nal dentro de casa", anuncia o vídeo de uma mãe de gêmeos de Ivoti, publicado no início desta madrugada. A cena, gravada logo após a cobrança dos pênaltis na decisão do Gauchão na noite desta quarta-feira (17), mostra os irmãos, de Ivoti, Miguel e Mateus chorando. Um é gremista e o outro, colorado.

"Na cobrança de pênaltis, sempre era comemoração de um lado e frustração do outro. Aí alertei eles que somente um sairia campeão e que um ia perder. A gente não sabia quem seria, mas que um teria que aceitar perder", conta a mãe dos meninos Alexandra Hensel. Ela explica que a cada cobrança, "um zoava do outro" até que chegou o fim das cobranças e o Grêmio saiu campeão. "Caiu a ficha e o colorado, Mateus, virou pro lado e chorou.  O mano viu, parou de zoar e entrou em choque. Ele virou com a mão tapando a boca, os olhos arregalados, e entrou em desespero", conta Alexandra. 

Miguel, torcedor do Grêmio, mesmo vitorioso com seu time, deixou as lágrimas rolarem. "Eu perguntei porque ele tava chorando, ele mentiu, disse que era de felicidade. Mas eu sabia que aquele choro do Miguel não era de empolgação. Ele estava com dó do mano porque ele estava triste", explica a mãe.

O resultado do diálogo e a cumplicidade entre os irmãos pode ser visto no vídeo publicado pela mãe, onde ela tenta consolar tanto o colorado, chateado por perder, e o gremista, emocionado pela tristeza do irmão.

Alexandra conta que incentiva os meninos a acompanharem os jogos por causa de uma deficiência que eles têm na coluna e que afeta o corpo abaixo do nível da lesão. "Por não poderem jogar, eu incentivo eles desde pequenos a torcerem. São meus parceiros! Assistem até os VTs de jogos anteriores e campeonatos estrangeiros". Fofura, cumplicidade e amor de torcedores não faltam para estes pequenos que dão uma lição sobre empatia. 


Diário de Cachoeirinha
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE