Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Av. Dorival Cândido Luz de Oliveira, 6423 (parada 63) - Monte Belo - Gravataí - CEP: 94050-000
Fones: (51) 3489-4000

Central do Assinante: (51) 3600.3636
Central de Vendas: (51) 3591.2020
Whatsapp: (51) 99101.0318
PUBLICIDADE
Economia

Governo estuda usar recursos de contas não sacadas do PIS/Pasep para reduzir déficit

Medida ainda está em estudo, conforme Ministério da Economia
11/06/2019 09:04 11/06/2019 09:04

O governo estuda usar recursos não sacados do PIS/Pasep para reduzir o déficit em caixa. A medida representa um impacto primário que pode chegar próximo dos R$ 20 bilhões. O valor viria das contas que não forem sacadas e que estão depositados nos três bancos públicos - BNDES, Banco do Brasil (BB) e Caixa Econômica Federal (CEF). 

Em entrevista ao jornal Valor Econômico, o secretário especial de Fazenda do Ministério da Economia, Waldery Rodrigues, confirmou que o governo estuda concentrar no Tesouro Nacional os recursos do PIS/Pasep sem saques, mas não deu data para a medida começar. Waldery explicou ainda que já está tomada a decisão de fazer uma nova liberação do PIS/Pasep (inclui trabalhadores que contribuíram até outubro de 1988), faltando decidir a perna fiscal. 

Em maio, o governo já havia sinalizado que estava estudando a proposta e que planeja liberar o saque das contas inativas

A tentativa de trazer os recursos do fundo PIS/Pasep, que tem a maior parte de seu dinheiro no BNDES, já foi pensada no governo Michel Temer, que promoveu duas rodadas de liberação de PIS/Pasep, injetando cerca de R$ 18 bilhões na economia em dois anos.

O PIS/Pasep são contribuições sociais recolhidas pelas empresas e que ajudam a financiar benefícios a trabalhadores. No caso do BNDES, o dinheiro é aplicado no financiamento de obras de infraestrutura.

Diário de Cachoeirinha
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE