Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Av. Dorival Cândido Luz de Oliveira, 6423 (parada 63) - Monte Belo - Gravataí - CEP: 94050-000
Fones: (51) 3489-4000

Central do Assinante: (51) 3600.3636
Central de Vendas: (51) 3591.2020
Whatsapp: (51) 99101.0318
PUBLICIDADE
Tragédia

Mãe e filha morrem ao serem atingidas por raio em pomar no interior de SP

As duas colhiam frutas no pomar do sítio da família quando aconteceu a descarga
09/01/2019 16:02

Mãe e filha morreram ao serem atingidas por um raio na noite da terça-feira (8), em Registro, no Vale do Ribeira, região sul do Estado de São Paulo. A dona de casa Lucileia Barbosa da Silva, de 40 anos, e a filha Thais Mayme Oyama, de 11, colhiam frutas no pomar do sítio da família quando aconteceu a descarga. O marido de Lucileia e pai de Thais, Akio Oyama, de 47 anos, estava próximo, mas saiu ileso.

Oyama contou à Polícia Militar que os três faziam a colheita de lichia quando ouviu um estrondo. Em seguida, ele viu a mulher e a menina estendidas no chão.

O homem pediu ajuda e outros familiares acionaram o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), mas as duas já estavam mortas. Os corpos foram encaminhados para perícia no Instituto Médico Legal (IML) de Registro. A família reside em Curitiba, capital paranaense, e passava as férias no sítio do pai de Oyama, no bairro Quilombo, zona rural do município.

De acordo com relato de Oyama aos policiais, não chovia no local no momento do raio e não havia tempestade em formação. Segundo a Defesa Civil, o raio é a formação de uma descarga elétrica entre a terra e as nuvens, com trajetórias sinuosas e irregulares, podendo cair a vários quilômetros de distância do ponto de formação. Durante o processo, acontece uma onda sonora, produzindo o trovão.

Em áreas rurais, devem ser evitados campos abertos ou a proximidade de árvores, que atraem as descargas.


Diário de Cachoeirinha
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE