Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Av. Dorival Cândido Luz de Oliveira, 6423 (parada 63) - Monte Belo - Gravataí - CEP: 94050-000
Fones: (51) 3489-4000

Central do Assinante: (51) 3600.3636
Central de Vendas: (51) 3591.2020
Whatsapp: (51) 99101.0318
PUBLICIDADE
Tragédia nos Andes

Rocha se solta e mata duas meninas brasileiras em represa no Chile

As crianças, acompanhadas dos pais, faziam um passeio pela represa de Yeso, 100 km a leste de Santiago, quando a rocha se desprendeu em um setor com acesso restrito a visitas
03/06/2019 18:56 03/06/2019 18:58

Duas meninas brasileiras, de 3 e 7 anos, morreram nesta segunda-feira (3) no Chile, depois que uma rocha se soltou quando visitavam uma represa na cordilheira dos Andes, informaram autoridades locais. As crianças, acompanhadas dos pais, faziam um passeio pela represa de Yeso, 100 km a leste de Santiago, quando a rocha se desprendeu em um setor com acesso restrito a visitas. 

"Foi um acidente lamentável. Ocorreu este grande desprendimento, atingido as pequenas", disse à imprensa Mireya Chocair, governadora da Província Cordillera. A menina de 3 anos morreu na hora e sua irmã foi levada a um centro de assistência, mas não resistiu aos ferimentos provocados pelas pedras que caíram sobre ela.

O local onde ocorreu a tragédia devia estar fechado para turistas, mas por causas que ainda são investigadas, as barreiras estavam levantadas, segundo a imprensa local. A represa de Yeso é uma das atrações mais visitadas por turistas que chegam à capital chilena no inverno para ver a neve.

Em outro acidente com turistas brasileiros, há dez dias, seis pessoas da mesma família morreram em um apartamento de Santiago, intoxicados por monóxido de carbono.

Diário de Cachoeirinha
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE