Publicidade
Esportes Para a história

Serena busca recorde de Grand Slams na grama inglesa

Tenista americana pode igualar a marca da australiana Margaret Court com 24 troféus dos quatro maiores torneios do mundo do tênis

Última atualização: 12.07.2019 às 14:22

Foto por: AFP
Descrição da foto: Serena Williams buscar mais um recorde para sua carreira neste sábado
Simona Halep, ex-número 1 do mundo, é a última tenista entre Serena Williams e o recorde de 24 títulos de Grand Slam. Depois de vencer com facilidade na quinta-feira nas semifinais, a romena e a americana vão disputar o troféu de Wimbledon. Williams, de 37 anos e 11ª cabeça de chave, obteve uma vitória contundente sobre a tcheca Barbora Strycova, 54ª do mundo, por 6/1 e 6/2, em apenas 59 minutos. A final está marcada para as 10 horas de sábado (13).

A americana começou um pouco lenta, mas logo encontrou seu jogo e soltou suas demolidoras rebatidas de direita, com as quais quebrou rapidamente o serviço da tcheca. Seu saque arrasador e uma defesa sólida fizeram o resto. Strycova tentou cansar sua veterana adversária mas ela acabou se complicando e cometeu erros que contribuíram para o resultado final. Williams, que ao longo de toda esta esta temporada sofreu com dores no joelho, teve controle total do jogo.

"Me sinto melhor do que no início do torneio" e "estou melhorando jogo após jogo", afirmou a americana de 37 anos. "Eu gosto do que faço e todas as manhãs me levanto para me sentir em forma". "Hoje eu estava tranquila. Comigo as coisas vão na base do dia a dia, todo mundo sabe disso. Estou longe de ser perfeita", afirmou em referência a seus lampejos de genialidade.

A mais jovem das Williams está a uma vitória de igualar o recorde da australiana Margaret Court com 24 troféus de Grand Slam. Serena vem buscando essa marca desde que em 2017 venceu o Aberto da Austrália. Mas depois fez uma pausa para dar à luz sua filha, Alexis Olympia, e não voltou a competir até há pouco mais de um ano.

Na última edição de Wimbledon, chegou até a final mas foi derrotada pela alemã Angelique Kerber. Depois foi a japonesa Naomi Osaka quem a venceu na final do US Open, provocando uma cena de ira da americana.

Desde então tudo parecia ir mal, especialmente devido às dores no joelho direito que a impediram de jogar boa parte desta temporada, na qual foi eliminada na terceira rodada de Roland Garros. Mas desde que chegou à grama londrina ela garante que pode enfim se concentrar e se sente melhor, embora na terça-feira tenha precisado suar muito para vencer nas quartas sua compatriota Alison Riske, que a colocou em sérias dificuldades.

Halep também vai tentar levar a adversária ao cansaço. "Joguei muitos jogos contra ela", disse a romena, que só ganhou um de seus dez duelos, em 2014. Mas "muitos deles foram acirrados", destaca.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.