Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Av. Dorival Cândido Luz de Oliveira, 6423 (parada 63) - Monte Belo - Gravataí - CEP: 94050-000
Fones: (51) 3489-4000

Central do Assinante: (51) 3600.3636
Central de Vendas: (51) 3591.2020
Whatsapp: (51) 99101.0318
PUBLICIDADE
"Rebelião juvenil"

'Peppa Pig' irá comemorar Ano Novo Chinês após ter episódios banidos

Animação vai inaugurar o ano do porco em um filme que deve chegar aos cinemas no dia 5 de fevereiro
01/01/2019 21:45

O desenho Peppa Pig voltará à China após ter sido banido por se transformar em símbolo de rebelião juvenil em 2017. Desta vez, a animação vai inaugurar o ano do porco em um filme que deve chegar aos cinemas no dia 5 de fevereiro. As informações foram confirmadas pelo jornal oficial China Daily no domingo, 30.

Na produção, Peppa fala mandarim e une forças com dois garotos apelidados de Jiaozi e Tangyuan, ambos alimentos tradicionalmente consumidos durante o Ano Novo Chinês.

O famoso desenho britânico, que chegou à China em 2000, foi acusado de subversão e teve centenas de episódios censurados. A produção virou febre no país. Adultos e jovens compravam cada vez mais roupas, acessórios e objetos do personagem, além de fazer tatuagens da animação.

O professor Steve Tsang, da Escola de Estudos Orientais e Africanos, disse ao ITV News: "Quando um personagem adorável como Peppa está sendo usado por pessoas mais jovens e, às vezes, não tão jovens, para buscar ideias e articular ideias que são proibidas na China, então Peppa Pig se torna politicamente incorreta e terá de ser retirada da tela."

O jornal Global Times publicou que Peppa "se tornou um ícone para a subcultura de jovens hostis a valores comuns, muitas vezes educado e sem trabalho estável. Ociosos, ao contrário da juventude que o Partido Comunista quer cultivar".

Em 2017, a plataforma Douryin, de compartilhamento de vídeos, removeu quase 30 mil episódios dos desenhos britânicos.


Diário de Cachoeirinha
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE