Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Av. Dorival Cândido Luz de Oliveira, 6423 (parada 63) - Monte Belo - Gravataí - CEP: 94050-000
Fones: (51) 3489-4000

Central do Assinante: (51) 3600.3636
Central de Vendas: (51) 3591.2020
Whatsapp: (51) 99101.0318
PUBLICIDADE
Gestão da água

Falta de participação esvazia o Comitê Gravataí

Grupo responsável pela discussão dos rumos e usos da água na região tem quase metade das vagas de participação para entidades vazias. Prefeituras da região não estão cadastradas
15/05/2019 11:49 15/05/2019 11:49

Foto por: GES
Descrição da foto: Comitê discute atualmente a implantação da cobrança pelo uso da água
Discutir os rumos das cidades da região, os projetos de construção, as indústrias a serem instaladas, os limites da agricultura e o custo de tudo isso é impossível sem considerar um elemento em comum, e fundamental: a água. Neste caso, a água do Rio Gravataí e seus afluentes. Curiosamente, o principal palco para definição do planejamento hídrico da região está esvaziado. Faltando duas semanas para encerrar o prazo, já prorrogado, para inscrição de entidades aptas a votar na escolha da próxima direção do Comitê de Gerenciamento da Bacia do Gravataí, mais de 40% das vagas entre usuários da água do Gravataí não foram preenchidas até o momento.

Na lista atualizada de representantes presentes, e com direito a voto no pleito de 11 de junho, não estão, por exemplo, as prefeituras e as câmaras de vereadores de Gravataí e Cachoeirinha. Por outro lado, a Corsan, os sindicatos rurais e representantes industriais ocupam seus lugares no comitê. Vale lembrar que a região é a escolhida pelo governo estadual para a implementação do projeto-piloto de cobrança pelo uso da água, em um modelo ainda em discussão pelo Departamento de Recursos Hídricos (DRH), do Estado, mas que só se tornará concreto pelas decisões do comitê, agora esvaziado.


"Estamos procurando as entidades que participam das reuniões, estavam cadastradas no comitê, mas não se apresentaram para a lista de de participação nos rumos futuros do comitê. É estranha essa falta de mobilização, porque a importância deste grupo é cada vez maior. Hoje, é impossível pensar nas cidades do futuro sem levar em conta o gerenciamento da nossa água. Quando gestores, como representantes da população usuária, não se interessam na discussão, é preocupante", critica o atual presidente do Comitê Gravataí, Sérgio Cardoso.

Ele deixará o comando na próxima reunião da entidade, no dia 11 de junho. A definição do sucessor só sairá no encontro, a partir do que definirem as entidades cadastradas até o dia 31 de maio. O prazo inicial para o fechamento das vagas no colégio eleitoral do comitê era 18 de abril, mas precisou ser prorrogado. Até agora, somente 18 das 32 vagas foram preenchidas.

O curioso é que, na reunião mensal desta segunda-feira (14), em Gravataí, o vereador Clebes Mendes (MDB), presidente da Câmara, participou, mas o legislativo municipal ainda não preencheu o cadastramento para participar de da renovação do comitê até o momento.

"Muitas vezes não é nem o desinteresse, mas a desatenção ao que é definido nas reuniões. Por isso, estamos reforçando o chamamento a todas as entidades, mais uma vez", aponta Cardoso.

Cada membro já participante do Comitê Gravataí recebeu uma ficha de cadastro que precisa ser preenchida e devolvida ao órgão determinando em qual das 12 categorias de usuários cada um se enquadra. Por enquanto, entre os representantes de Gravataí e Cachoeirinha, somente o Sindicato Rural de Gravataí, os sindicatos das indústrias química, do setor de papel e celulose e de bebidas, além do Instituto Federal Sul-Riograndense e da Associação de Preservação da Natureza - Vale do Gravataí (APN-VG) fazem parte da lista.

Diário de Cachoeirinha
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE