Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Av. Dorival Cândido Luz de Oliveira, 6423 (parada 63) - Monte Belo - Gravataí - CEP: 94050-000
Fones: (51) 3489-4000

Central do Assinante: (51) 3600.3636
Central de Vendas: (51) 3591.2020
Whatsapp: (51) 99101.0318
PUBLICIDADE
Furto inusitado

Bandidos levam sino de capela em Glorinha

Pesando mais de 30 quilos, objeto de bronze ficava do lado de fora da capela no distrito de Contendas. Local é tombado pelo município.
11/04/2019 15:57 11/04/2019 15:57

Foto por: Arquivo Pessoal
Descrição da foto: Torre onde ficava o sino tem sete metros

Quando o padre Manoel Scheimann saiu da pequena capela da Comunidade Santa Terezinha do Menino Jesus, no distrito de Contendas, interior de Glorinha, no final da tarde de sábado, dia 30 de março, após a missa, tudo estava normal do lado de fora. A mesma torre singela, de ferro, com seus sete metros de altura, e o sino de bronze, que deve pesar não menos que 30 quilos. Na semana seguinte, e ninguém sabe ao certo quando, o sino foi levado por criminosos. O furto foi registrado na Polícia Civil, mas não há pistas dos bandidos.

"Acreditamos que tenha sido durante a madrugada, provavelmente, entre quarta (3) e sexta (5), quando moradores perceberam que o sino não estava mais lá. A capela fica um pouco distante da faixa, e nenhum morador próximo ouviu barulho ou movimentação estranha de algum carro. Deu uma comoção na comunidade, porque este sino e a capela têm um significado muito especial nessa localidade do interior", lamenta o padre.

A suspeita entre os moradores é de que se trate de algum grupo especializado, pelo grau de dificuldade para remover o sino. Acreditam que tenham usado alguma escada e serrado os parafusos que mantinham o sino no alto da torre há pelo menos 15 anos. 

A torre é relativamente nova, mas, segundo o padre Manoel, o sino é provavelmente o objeto mais antigo da igreja no município. E, certamente, o mais antigo da comunidade de Contendas. Há pelo menos 75 anos está naquela capela.

"O som do sino sempre chamou a todos para oração, e nessa comunidade, é mais do que isso. Ele serve para comunicar aos moradores. E cada sino tem um som único, por isso, quando um deles racha, por exemplo, a igreja não joga fora. Faz parte do rito. O que fizeram foi quebrar este símbolo". diz.

Capela tem valor histórico

Além de padre, Manoel Scheimann também é historiador e está empenhado na recuperação da história justamente da capela atacada pelos bandidos. Na saída da sua última missa ali, no dia 30, ele havia observado que há uma inscrição no sino. Combinou de subir a torre para desvendar o que dizia. Os ladrões foram mais rápidos, então, até o momento, a origem e a verdadeira idade do sino ainda são misteriosos.

A capela completa 75 anos em 2019 e é tombada pelo município de Glorinha. O sino faz parte deste patrimônio. Agora, restou a torre e o buraco no chão, provocado pela queda do sino, além da espera por uma resposta da polícia para o misterioso furto.

Crime no Vale do Sinos

Não é descartada até mesmo a possibilidade de que se trate de algum tipo de crime em série em busca do bronze dos sinos. Na última terça, um sino de 250 quilos, mantido a 12 metros de altura, foi furtado de uma capela em Araricá, no Vale do Sinos.

Assim como em Glorinha, o ataque naquela cidade atingiu uma comunidade do interior. O sino de Araricá havia sido adquirido há 20 anos, e tem valor estimado em R$ 15 mil. Mas, à exemplo do caso da cidade do Vale do Gravataí, a polícia ainda não tem pistas dos suspeitos. 

Diário de Cachoeirinha
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE