Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Av. Dorival Cândido Luz de Oliveira, 6423 (parada 63) - Monte Belo - Gravataí - CEP: 94050-000
Fones: (51) 3489-4000

Central do Assinante: (51) 3600.3636
Central de Vendas: (51) 3591.2020
Whatsapp: (51) 99101.0318
PUBLICIDADE
Saúde

Gravataí tem o primeiro caso de Zika Vírus do Estado

Caso foi confirmado pela Secretaria Estadual da Saúde nesta terça e a paciente era uma jovem de 17 anos da Morada do Vale
26/02/2019 14:43 26/02/2019 14:43

Foto por: GES
Descrição da foto: Pneus usados podem ser foco do mosquito Aedes
A Secretaria Estadual da Saúde confirmou nesta terça-feira (26), o primeiro caso autóctone, ou seja, que foi contraído no Estado, de Zika Vírus, em 2019 no Rio Grande do Sul. De acordo com a SES, a paciente é uma jovem de 17 anos, residente em Gravataí. Ela teria começado com os sintomas em 7 de janeiro, apresentando dor ocular e visão turva. Ela não realizou nenhuma viagem para fora do Estado. Internada no Hospital Nossa Senhora da Conceição, foi diagnosticada com neurite ótica.

Como o hospital é sentinela para doenças neurológicas causadas por arbovírus (vírus transmitidos aos humanos por intermédio de insetos), amostras de seus exames foram encaminhadas ao Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen/RS), com resultado obtido em 21 de janeiro, positivo para a doença. Após o resultado reagente para Zika Vírus, o Programa Estadual do Controle da Dengue, do Centro Estadual de Vigilância em Saúde (CEVS), entrou em contato com a Prefeitura de Gravataí e com a 2ª Coordenadoria Regional de Saúde (2ª CRS) para que seja iniciada a investigação do caso. O trabalho começou em 22 de janeiro, que confirmou o caso como autóctone.

Em 2016, o Rio Grande do Sul teve 44 casos autóctones de Zika. Houve dois importados em 2017 e nenhum em 2018.

Secretaria Municipal realiza ações emergenciais

O secretário municipal da saúde, Jean Torman, confirma o caso. "Recebemos a confirmação na segunda-feira e desde que havia a suspeita já estávamos em contato para que ações fossem tomadas. No momento, estamos tomando as providências e os protocolos que o Ministério da Saúde estabelece com a máxima agilidade possível", afirma.

Segundo ele, a jovem de 17 anos é moradora da Morada do Vale. "Estamos acompanhando o caso da paciente desde que a suspeita surgiu. Ela está bem, já não apresenta efeitos do episódio e nós estamos tomando as providências no local", diz.

A região já está recebendo a aplicação de inseticidas e será realizada um mutirão de limpeza urbana com mais intensidade. "Nas unidades de saúde da região vamos disponibilizar repelentes, especialmente para as gestantes". 

Cuidados com o mosquito

Jean pede que a população se engaje na campanha para evitar a proliferação do Aedes aegypti, responsável pela transmissão do Zika e também da dengue, febre amarela e chickungunya. "Os moradores precisam ser atuantes na prevenção. Estamos passando por um verão muito seco e uma época muito propícia para a proliferação dos mosquitos. O trabalho do município depende muito da consciência da população para que não ocorra uma proliferação do Aedes que vai trazer prejuízos para a saúde de todos", diz.

O secretário finaliza afirmando que o caso pode despertar a atenção dos moradores. "Às vezes, por não ter nenhum caso na região, as pessoas começam a se descuidar. Não podemos nos descuidar e esperar por uma tragédia do vizinho para tirar aquele pote que acumula água do pátio. A responsabilidade tem que ser de todos", conclui.


Diário de Cachoeirinha
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE