Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Av. Dorival Cândido Luz de Oliveira, 6423 (parada 63) - Monte Belo - Gravataí - CEP: 94050-000
Fones: (51) 3489-4000

Central do Assinante: (51) 3600.3636
Central de Vendas: (51) 3591.2020
Whatsapp: (51) 99101.0318
PUBLICIDADE
Finanças

ICMS cresce um pouco para o próximo ano

Elevação acontece após quatro anos de queda. Perdas acumuladas já chegam a R$ 125 milhões no período
08/11/2018 10:15 08/11/2018 10:15

Foto por: Prefeitura de Cachoeirinha/Divulgação
Descrição da foto: Os números ao longo dos últimos anos
Na segunda-feira, 5 de novembro, a Secretaria Estadual da Fazenda divulgou o Índice de Participação dos Municípios (IPM) definitivo para 2019 e Cachoeirinha apresentou crescimento de 1,52% em relação a 2018. O IPM é o indicador utilizado para a distribuição de recursos aos 497 municípios gaúchos, determinando a quota-parte de cada um sobre as receitas de ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços).

Índice vinha em queda

Nos últimos quatro anos, Cachoeirinha esteve entre as dez cidades do Estado que tiveram maior queda no IPM, acumulando uma perda de quase 24%, que chega a R$ 125 milhões a menos. Em 2015, o IPM do município era 1,375618 e em 2019 é 1,054334. Houve crescimento no IPM definitivo de 2019 em relação ao de 2018, que foi 1,0385, ou seja, o índice aumentou 1,52% de um ano para outro.

Os dados estão disponíveis no Diário Oficial do Estado (DOE) e no site da Secretaria Estadual da Fazenda.

Fonte de receita

O prefeito de Cachoeirinha, Miki Breier, lembra que o repasse de ICMS é uma das principais fontes orçamentárias do município. “Embora a queda de repasses ainda seja sentida no próximo ano, estamos esperançosos com a economia que começa a dar sinais de reação, de crescimento”, aponta Miki. O município tomou uma série de medidas de gestão e para ampliar a arrecadação, tais como o Recred, o Cachoeirinha dá Sorte e desburocratizando o processo de abertura de novas empresas.

Parâmetros

A Receita Estadual calcula o IPM anualmente para repasses das receitas previstas para o ano seguinte, com base em sete diferentes parâmetros estabelecidos em Lei: Valor Adicionado Fiscal (VAF), área, população, número de propriedades rurais, produtividade primária, inverso do VAF per capta e pontuação no Programa de Integração Tributária (PIT). Em regra, são utilizados os dados referentes ao ano anterior ao cálculo do IPM.


Diário de Cachoeirinha
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE