Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Av. Dorival Cândido Luz de Oliveira, 6423 (parada 63) - Monte Belo - Gravataí - CEP: 94050-000
Fones: (51) 3489-4000

Central do Assinante: (51) 3600.3636
Central de Vendas: (51) 3591.2020
Whatsapp: (51) 99101.0318
PUBLICIDADE
Em Brasília

'Se conseguir idade mínima de 62 anos é um grande passo', diz Bolsonaro

Presidente eleito falou, em entrevista coletiva, sobre necessidade de aprovar pontos da reforma da Previdência
06/11/2018 16:47 06/11/2018 16:48

Foto por: Antonio Cruz/Agência Brasil
Descrição da foto: O presidente eleito Jair Bolsonaro participa no Congresso Nacional da sessão solene em comemoração aos 30 anos da Constituição Federal.
O presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) afirmou nesta terça-feira (6), em coletiva de imprensa na saída do Comando da Marinha, em Brasília, que há pontos da reforma da Previdência que podem ser votados neste ano, dentre os quais a idade mínima para o benefício. "Se a gente conseguir idade mínima de 62 anos é um grande passo", afirmou.

Bolsonaro disse, também, que se a Mesa Diretora da Câmara colocar a reforma da Previdência em votação ainda este ano, ele vota.

Mais quatro ministros até sexta-feira

O presidente eleito afirmou nesta terça-feira que pode anunciar novos nomes para compor o futuro governo até sexta-feira (9). Ele também voltou a dizer que o quadro ministerial final pode contemplar 17 pastas.

De acordo com Bolsonaro, já há conversas sobre quem virá a ocupar os ministérios de Relações Exteriores, de Infraestrutura, de Agricultura e Meio Ambiente. Sobre estes dois últimos, ele disse que a tendência é não haver fusão.

"O próprio setor do agronegócio nos procurou e nós repensamos a fusão. Não é recuo, não. Nós podemos ser convencidos do contrário", disse.

Bolsonaro disse também que, nas discussões sobre como compor a equipe ministerial, apenas um partido pequeno o procurou. "E eu descartei", afirmou. Ele enfatizou que quer nomear pessoas com capacidade técnica conhecida na área.

Sobre a possibilidade de o senador Magno Malta (PR-ES) ser indicado para a eventual pasta da Família, que irá abrigar diferentes secretarias e ministérios ligados a questões sociais, o presidente eleito se limitou a dizer que "é possível".

GSI

Bolsonaro afirmou ainda que o general Augusto Heleno pode ser indicado para ocupar o Gabinete de Segurança Institucional (GSI) "No que depender de mim, Heleno pode ir para o GSI", afirmou. "Vou pensar."

O general Heleno havia sido inicialmente indicado para o Ministério da Defesa. Porém, como adiantou o jornal O Estado de S. Paulo, o desejo do presidente eleito é mantê-lo próximo ao núcleo duro do Palácio do Planalto. O chefe do GSI fica lotado no Palácio do Planalto.

Na mesma coletiva, quando perguntado se Heleno aceitaria ir para o GSI, o general se esquivou. "Também vou pensar", disse.

Para o presidente, caso Heleno seja deslocado para o GSI, "alguém da Marinha pode ocupar a Defesa".

Exército

O presidente eleito, que já esteve hoje no Ministério da Defesa e na Marinha, chegou nesta tarde ao Quartel General (QG) do Exército, onde irá se reunir com o comandante da Força, general de Exército Eduardo Villas Bôas. Bolsonaro usou uma entrada privativa, porque no momento chove muito na capital federal. Na quarta-feira (7), ele deve se reunir com o comandante da Aeronáutica.


Diário de Cachoeirinha
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE