Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Av. Dorival Cândido Luz de Oliveira, 6423 (parada 63) - Monte Belo - Gravataí - CEP: 94050-000
Fones: (51) 3489-4000

Central do Assinante: (51) 3600.3636
Central de Vendas: (51) 3591.2020
Whatsapp: (51) 99101.0318
PUBLICIDADE
Bebês e crianças

Choros e cólicas podem ser amenizados com quiropraxia

Técnica auxilia na prevenção e tratamento de problemas nos ossos, músculos e tendões
29/10/2018 10:57 29/10/2018 11:03

Foto por: Divulgação/Divulgação
Descrição da foto: Valentine vai à quiropraxista desde 1 ano
Sintomas clássicos dos bebês podem ser amenizados por meio das técnicas de quiropraxia, método que trabalha no diagnóstico, prevenção e tratamento de desordens do sistema neuro musculoesquelético. Desde recém-nascidos, os ajustes são eficazes para problemas como dificuldades no sono, choro excessivo, cólicas, refluxo, alteração ou dificuldade de engatinhar ou caminhar. A quiropraxista Graziela Roth recomenda para a prevenção, independentemente da faixa etária.

Pais também buscam a alternativa para tratar torções de tornozelo, torcicolos, alterações na marcha e problemas na coluna, como escoliose e lordose. Sobre a criança aceitar o tratamento, a profissional afirma que “até hoje as que atendi sempre gostaram, ficaram quietas e participando ativamente do atendimento”.

Desde bebê

Paciente há anos de Graziela, Valentine Finkler, hoje com 11, começou o tratamento como prevenção. A mãe, Luciana Silva Finkler, 44, explica que a quiropraxia tem sido importante para o desenvolvimento e crescimento da pequena desde 1 ano. Sempre que Valentine está com problemas nos ossos, músculos ou tendões, recorre ao tratamento quiroprático antes de optar por medicamentos contra a dor.

Atualmente, a menina passa pela técnica com frequência de dois a três meses, de acordo com o diagnóstico. “Quando ela chega lá está bem desajustada, muitas vezes, a perna está bem mais curta do que a outra”, diz Luciana.

Tratamento contra as temidas cólicas

Foto por: Divulgação/Divulgação
Descrição da foto: Graziela Roth, quiropraxista
Assim como o tratamento pode auxiliar no sono, por meio do relaxamento, também ajuda a evitar as temidas cólicas. Graziela conta que “algumas vezes há um desalinhamento articular que afeta a inervação do sistema digestório e ocorrem as cólicas”.

Ela ainda realiza a técnica CMRT (Chiropractic Manipulative Reflex Technic), que trabalha com estímulos aos órgãos, auxiliando também no refluxo e constipação. “Isso tudo pode auxiliar na diminuição dos sintomas da imaturidade do sistema”, conclui.

Pais devem ficar atentos

- Em algumas situações, o choro excessivo ou os problemas no sono podem estar relacionados com alterações na coluna, nas costelas ou, até mesmo, o cotovelo que pode estar mal posicionado. Os pais devem ficar atentos à postura, alterações no engatinhar ou caminhar e também na forma como as crianças sentam ou dormem. Uma posição errada, mas que os pequenos costumam usar é o sentar em “w”, com as pernas posicionadas na forma da letra w. “Se ela fica muito tempo sentada em ‘w’ fará alterações em sua pelve e membros inferiores”, alerta.

- Um cuidado importante é na hora de trocar as fraldas. Graziela recomenda não elevar as perninhas e, sim, virar a criança de lado. Na hora de dormir, é aconselhado cuidado com a postura, já que o bebê tende a reproduzir a posição em que estava dentro da barriga da mãe.

- Outro alerta é para o uso excessivo de celulares e tablets que, segundo a quiro, “pode alterar as curvaturas fisiológicas da coluna”.

Preferência por um lado pode revelar problema

Têm bebês que preferem mamar ou deitar apenas de um lado do corpo e isso pode estar relacionado com alterações cervicais, mas também com o fluxo da mama. “Sempre é preciso avaliar, conversar com pediatra, enfermeiros. Normalmente, esse bebê em outros momentos apresentará essa rotação ou preferência postural”, cita.


Diário de Cachoeirinha
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE