Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Av. Dorival Cândido Luz de Oliveira, 6423 (parada 63) - Monte Belo - Gravataí - CEP: 94050-000
Fones: (51) 3489-4000

Central do Assinante: (51) 3600.3636
Central de Vendas: (51) 3591.2020
Whatsapp: (51) 99101.0318
PUBLICIDADE
Auxílio em busca de foco

Conheça os principais sintomas do deficit de atenção em adultos e crianças

Entre 3% e 6% da população mundial sofre do transtorno com hiperatividade, mais conhecido como TDAH
23/10/2018 14:51 23/10/2018 14:52

Estudos mostram que entre 3% e 6% da população mundial sofre com o Transtorno de Deficit de Atenção com Hiperatividade, mais conhecido como TDAH. Trata-se de um distúrbio de ordem neurobiológica, que tem como principais características desatenção, hiperatividade e impulsividade. Confira mais detalhes na entrevista com a psicopedagoga clínica e institucional, Taís Hatzenberger.

Geralmente o Transtorno de Déficit de Atenção com Hiperatividade – o TDAH – se manifesta na infância. Como os pais podem perceber esta mudança nos filhos?
Logo nos primeiros anos da vida escolar, 4 e 5 anos, é possível perceber o transtorno. Durante uns 6 meses de observação os pais e professores podem avaliar o comportamento nas atividades em comum a outras crianças: lentidão ao terminar uma tarefa, dificuldade em se concentrar nas explicações ou não se deter no que está sendo feito.

Como o transtorno pode ser detectado nos adultos?
Em adultos, os sintomas são parecidos com o das crianças, mas em atividades que exigem maior resultado: dificuldade em se concentrar em sala de aula, na leitura, reuniões ou palestras. Não se deter a uma só proposta, ficando ansioso para fazer mais de uma coisa ao mesmo tempo (hiperatividade). Em geral, a hiperatividade é vista como uma aliada no trabalho de multitarefas, mas isso compromete a longo prazo a convivência social e pode desencadear sintomas de ansiedade.

Que tipo de questões podem originar o TDAH? Causas hereditárias podem ser incluídas?
Pesquisas apontam para fatores genéticos e ambientais, desta forma estudos mostram que a exposição a uma intensa possibilidade de uso tecnológico que gere informações sonoras e visuais em excesso, como celulares e seus aplicativos, contribuem para o estímulo de pensamentos desordenados e dependência a esses recursos. Estes podem mudar o foco da atenção, prejudicar a memória e as funções executivas e cognitivas.

Esse desvio de atenção geralmente está ligado à hiperatividade?
Não necessariamente, algumas crianças apresentam deficit de atenção e não são hiperativas. No entanto, os transtornos estão relacionados, por isso, quem é hiperativo, tem dificuldade em concentração e a falta de atenção pode apresentar causa de ansiedade. Desta forma, avaliar cada caso é essencial para fazer um prognóstico.

Que tipo de tratamento é recomendado para quem sofre de TDAH? Existe cura?
Na Psicopedagogia são criados planos de intervenções específicos para cada caso avaliado, tanto para crianças ou adultos. Casos mais moderados são possíveis corrigir com uma combinação de tratamento clínico e mudança de rotina. As melhoras são específicas para cada indivíduo, com bom resultado quando diagnosticado precocemente. Para casos mais severos, o acompanhamento com neurologista e medicação é recomendado.

A atitude dos colegas de trabalho, da família e dos amigos influencia de alguma forma no comportamento de quem tem TDAH?
Sim, os fatores ambientais, sociais e comportamentais são muito importantes, por isso hábitos saudáveis, lazer, rotina definida e agendamento de atividades auxiliam na correção cognitiva e orientação das tarefas que podem levar a organização e concentração na vida diária. O apoio da família e amigos é fundamental para o bom resultado do tratamento para esse tipo de transtorno, além da orientação de um profissional.


Diário de Cachoeirinha
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE