Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Av. Dorival Cândido Luz de Oliveira, 6423 (parada 63) - Monte Belo - Gravataí - CEP: 94050-000
Fones: (51) 3489-4000

Central do Assinante: (51) 3600.3636
Central de Vendas: (51) 3591.2020
Whatsapp: (51) 99101.0318
PUBLICIDADE
Dengue

o lance é sempre a prevenção

Municípios estão infestados pelo mosquito mas não possuem casos de doenças
23/10/2018 10:05 23/10/2018 10:06

Foto por: Divulgação
Descrição da foto: População deve ficar atenta a focos do mosquito
O calor está começando a dar as caras por aqui e com ele, não só a temporada de praia e piscina, como também a preocupação com o mosquito Aedes aegypti, transmissor de dengue, febre amarela, zika e chikungunya - doenças sérias que podem levar a morte. Gravataí e Cachoeirinha figuram em um levantamento divulgado este mês pelo Centro Estadual de Vigilância em Saúde, como municípios infestados pelo inseto.

De acordo com o Coordenador da Vigilância em Saúde de Cachoeirinha, Gelson Braga, já é sabido que o mosquito se prolifera em qualquer água e não apenas água suja, como se falava anteriormente. “Por conta disso, é importante que as pessoas usem tela milimétrica não só nas janelas e portas, como também nos ralos externos e cano (ladrão) da caixa d’água.”

Ele destaca que além de não deixar água parada, lavar potes, como o da água dos animais por exemplo, com água, esponja e sabão, é de extrema importância para se acabar com os ovos do mosquito, que são invisíveis a olho nu.

Nas casas

Tanto Braga como a diretora de Vigilância em Saúde de Gravataí (Viemsa), Patrícia Silva, afirmam que a principal prevenção contra as doenças que o Aedes pode trazer é o comprometimento dos donos das residências. “Muitas das residências não conseguimos visitar e precisamos contar que as pessoas sejam responsáveis e engajadas para combatermos o mosquito e prevenirmos as doenças”, Braga.

Gravataí tem ações durante todo o ano

Conforme a diretora de Vigilância em Saúde de Gravataí (Viemsa), Patrícia Silva, as ações de combate ao mosquito Aedes aegypti ocorrem durante todo o ano e não apenas com a chegada do calor. “Temos 64 agentes de endemias, somos uma das maiores equipes da região metropolitana. Realizamos visitas nas casas, ações de educação e orientação sempre.”

Ela ainda lembra que mesmo aparecendo nos relatórios do estado como município infectado pelo mosquito, Gravataí não possui casos autóctones (nome que se dá para uma doença adquirida na zona da residência do enfermo) de dengue, Zica vírus ou chikungunya desde o ano passado. “Trabalhamos muito para mantermos o município livres das doenças e estamos conseguindo.”

Levantamento para traçar estratégias

Segundo o Coordenador da Vigilância em Saúde de Cachoeirinha, Gelson Braga, começa na próxima segunda-feira, 29, e vai até o dia 15 de novembro, o Levantamento Rápido do Índice de Infestação por Aedes (Liraa). Este é o quarto do ano. “Com base nestes resultados iremos traçar as estratégias para combate ao mosquito.”

Ele explica que na ação são coletadas larvas em todos os bairros do município, verificando onde se tem a maior incidência do Aedes. “De qualquer forma o combate ao Aedes é feito durante todo o ano e pontos estratégicos como cemitérios, locais de reciclagem, borracharias, lavagem de carros, entre outros, recebem visitas e ações periódicas” Além disso, Gelson comenta que a ação dos Agentes Mirins da Dengue, realizada nas escolas, tem dado um resultado muito bom. “Intensificando a parte educativa temos mais prevenção e as crianças fiscalizam em casa, ajudando no combate”, revela.


Diário de Cachoeirinha
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE