Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Av. Dorival Cândido Luz de Oliveira, 6423 (parada 63) - Monte Belo - Gravataí - CEP: 94050-000
Fones: (51) 3489-4000

Central do Assinante: (51) 3600.3636
Central de Vendas: (51) 3591.2020
Whatsapp: (51) 99101.0318
PUBLICIDADE
Tragédia

Terremoto no Haiti deixa 12 morto

Número de óbitos ainda pode crescer muito mais; nenhum alerta de tsunami foi emitido até o momento
07/10/2018 15:12 07/10/2018 15:18

Foto por: Hector Retamal/AFP
Descrição da foto: Terremoto no Haiti deixou pelo menos 12 mortos
Ao menos 12 pessoas morreram e 188 ficaram feridas devido a um terremoto de magnitude 5,9 que abalou a costa noroeste do Haiti na noite do último sábado (6), causando pânico em várias cidades. O anúncio foi feito pelas autoridades do país na manhã deste domingo. Número de óbitos ainda pode crescer muito mais. 

Segundo o ministério do Interior, oito das mortes ocorreram no litoral de Port-de-Paix, três em Gros-Morne (noroeste) e uma em Saint-Louis-du-Nord.

O terremoto ocorreu às 20h10 (21h10 no horário de Brasília), teve uma magnitude de 5,9 e seu epicentro foi cerca de 19 quilômetros a noroeste de Port-de-Paix, de acordo com o Instituto Geológico dos Estados Unidos (USGS).

Duas réplicas de menor magnitude foram sentidas na costa noroeste do país, acrescentou a Defesa Civil, que também indicou que nenhum alerta de tsunami foi emitido.

Uma célula de crise, integrada por vários ministérios, foi ativada "para coordenar conjuntamente as respostas de emergência necessárias", anunciou no Twitter o primeiro-ministro do Haiti, Jean-Henry Céant.

Por sua parte, o presidente Jovenel Moise pediu, na mesma rede social, aos haitianos para "permanecerem calmos", dizendo que as autoridades locais e regionais estavam ajudando as pessoas afetadas.

"O sistema de gerenciamento de risco e as diretorias regionais da Defesa Civil estão em alerta", escreveu Moise.

A Defesa Civil haitiana afirmou ainda que "além dos feridos, em sua maioria sem gravidade, houve ondas de pânico" entre a população.

Imagens de casas com paredes que desabaram e de prédios parcialmente destruídos circulam nas redes sociais, sem que a AFP consiga confirmar sua autenticidade.

No departamento do Noroeste, o mais pobre do país, muitas áreas estão isoladas devido à ausência de estradas em boas condições. Port-de-Paix é a capital regional.

O tremor que durou vários segundos foi sentido também na capital Porto Príncipe, trazendo à mente de seus habitantes ainda traumatizados as lembranças do terremoto que devastou a cidade e seus arredores há mais de oito anos.

Em 12 de janeiro de 2010, um terremoto de magnitude 7 na escala Ritcher causou a morte de mais de 200.000 pessoas, deixando outros 300.000 feridos.

Mais de um milhão e meio de pessoas ficaram desabrigadas depois daquela catástrofe, que deixou prejuízos que foram avaliados em 120% do PIB nacional.

As estruturas e a organização do Estado haitiano foram duramente atingidas pela catástrofe. Após três dias, o estado de emergência foi declarado em todo o país por um mês. Muitos edifícios foram destruídos, incluindo o Palácio Nacional e a Catedral de Notre-Dame de Porto Príncipe.


Diário de Cachoeirinha
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE