Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Av. Dorival Cândido Luz de Oliveira, 6423 (parada 63) - Monte Belo - Gravataí - CEP: 94050-000
Fones: (51) 3489-4000

Central do Assinante: (51) 3600.3636
Central de Vendas: (51) 3591.2020
Whatsapp: (51) 99101.0318
PUBLICIDADE
Tecnologia
Alerta

Cuidado: pesquisa eleitoral pelo WhatsApp é golpe

Institutos Datafolha e Ibope esclareceram que não fazem pesquisa eleitoral por aplicativo de mensagem
24/09/2018 23:35 24/09/2018 23:36

Foto por: Reprodução
Descrição da foto: Mensagem que se faz passar por pesquisa eleitoral no WhatsApp é mais um dos golpes que circulam no aplicativo
Nos últimos dias, dois institutos de pesquisa brasileiros fizeram alertas de que não realizam pesquisa eleitoral através do WhatsApp. Isto porque circulam em grupos do aplicativo mensagens que se fazem passar pelo Ibope e Datafolha, supostamente convidando o usuário a seguir um link para dar sua opinião. Trata-se de golpe.

O Datafolha colocou em sua página inicial um link para uma reportagem da Folha de S. Paulo (à qual pertence o instituto de pesquisa) que esclarece que o WhatsApp não é usado nas pesquisas eleitorais do Datafolha. Já o Ibope emitiu uma nota oficial desmentindo que use o WhatsApp:

"O IBOPE Inteligência tomou conhecimento de que mensagens de celular estão sendo disseminadas com um suposto convite para responder uma pesquisa eleitoral para presidente. Esclarecemos que não registramos e tampouco estamos realizando pesquisa de intenção de voto para divulgação pela internet ou muito menos selecionando entrevistados por mensagem de celular."

Embora até existam enquetes realizadas pelo WhatsApp em outras circunstâncias, as mensagens que alegam pertencer ao Ibope e ao Datafolha, portanto, são mentirosas. Trata-se de golpe para roubar dados do usuário ou infectar seu smartphone com vírus ou programas maliciosos.

Adote a mesma cautela válida para outros golpes em potencial. Não siga links, delete a mensagem e não compartilhe. Se o remetente da pesquisa não é conhecido, marque-o como spam e denuncie no botão do WhatsApp que aparece quando uma mensagem de remetente novo entra pela primeira vez.





Diário de Cachoeirinha

Tecnologia

por André Moraes
andre.moraes@gruposinos.com.br

André Moraes é editor de Tecnologia do Jornal NH. Sua experiência profissional inclui o jornalismo de divulgação científica, publicações técnicas e reportagem de tecnologia.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE