Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Av. Dorival Cândido Luz de Oliveira, 6423 (parada 63) - Monte Belo - Gravataí - CEP: 94050-000
Fones: (51) 3489-4000

Central do Assinante: (51) 3600.3636
Central de Vendas: (51) 3591.2020
Whatsapp: (51) 99101.0318
PUBLICIDADE
Solidariedade

Doar cabelo é coisa de menino

Aluno de 11 anos do Colégio Dom Feliciano deixou cabelo crescer por um ano e meio
11/07/2018 09:51 11/07/2018 09:51

Arquivo Pessoal
Bernardo quer fazer a diferença na vida de outra criança
Já faz tempo que ter cabelo comprido não é coisa só de menina. Aliás, atualmente, dizer que isso ou aquilo é coisa de menino ou de menina é ultrapassado e pode ser até ofensivo. Nesta história, o gênero é o que menos importa. Aqui, o certo é dizer o que foi feito.

Bernardo Vargas e Silva Pinheiro, de 11 anos, é destaque na rede social do Colégio Dom Feliciano, onde frequenta o 5º ano, porque na última segunda-feira, cortou o cabelo. Até aí, tudo certo, o mais legal disso tudo é a destinação que ele deu para a mecha: ela será doada para o ONG Cabelaço - que confecciona perucas a partir de cabelos doados, para crianças que passam por tratamento contra o câncer.

Conforme os seus pais, ele estava deixando o cabelo crescer fazia uma ano e meio. “Tudo começou com uma franja comprida que ele queria deixar. Nós apoiamos as suas escolhas e no meio do processo de crescimento, o Bernardo ficou sabendo que havia essa possibilidade de doar cabelo para crianças que precisam de perucas, e gostou da ideia. Foi quando dissemos a ele: então, você já sabe o que fazer, quando enjoa deste cabelo”, relata o pai, Márcio Pinheiro, 39 anos.

Ele ainda comenta que assim como a esposa, Ivana Pinheiro, 38 anos, está muito feliz com a atitude do filho. “Achamos a iniciativa dele maravilhosa. Esse tipo de ação é o que estamos mais precisando no mundo. O olhar par o outro, para que todos possam ter uma vida melhor”, revela.

Ivana destaca que a vontade de ajudar é nata do filho e que sente muito orgulho. “Ele sempre foi um menino assim.” Agora, o próximo passo da família é o de levar a mecha até o ponto de arrecadação no Instituto do Câncer Infantil, em Porto Alegre. “A vontade do Bernardo é visitar as crianças para doar”, diz a mãe.

Saiba mais como doar

Como é o corte? O corte precisa ser de, no mínimo, 15 cm. Para o corte, deve ser amarrada a parte a ser cortada em um atilho ou borrachinha de cabelo. Mas cuida que o corte da mecha deve ser com o cabelo seco, não pode ser molhado, senão ela pode embolorar, criando fungo e ela será inutilizada.

Quais são os tipos de cabelo aceitos? Pode ter química no cabelo, pode ser liso/crespo, não tem problema.

Cuidados com a mecha? A mecha deve ser guardada num saquinho plástico.

Onde entrego? Pode ser enviada por correio, para: A/C Cabelaço (Caixa Postal 58, Canoas/RS - CEP 92.010-300) ou quem quiser, pode deixar pessoalmente na recepção do Hospital da Criança Santo Antônio, na Santa Casa em Porto Alegre.



Diário de Cachoeirinha
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE