Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Av. Dorival Cândido Luz de Oliveira, 6423 (parada 63) - Monte Belo - Gravataí - CEP: 94050-000
Fones: (51) 3489-4000

Central do Assinante: (51) 3600.3636
Central de Vendas: (51) 3591.2020
Whatsapp: (51) 99101.0318
PUBLICIDADE
Entrevista

Especialista dá dicas sobre como cuidar bem da saúde do coração

Confira entrevista com o cirurgião cardiovascular Eduardo Keller Saadi
22/05/2018 08:00

O Rio Grande do Sul é o único Estado brasileiro a ter um calendário oficial e uma campanha de prevenção de aneurisma da aorta, a maior e principal artéria do corpo humano, responsável por levar oxigenação do coração a todos os órgãos. O cirurgião cardiovascular Edu- ardo Keller Saadi dá mais detalhes dos cuidados com o coração, que serão debatidos na Semana Estadual de Prevenção e Combate ao Aneurisma da Aorta, entre os dias 24 e 26 de maio, em Porto Alegre.

Que tipo de sintomas podem apontar que é preciso uma maior atenção com o coração?

A maior parte das doenças cardíacas são silenciosas por um grande período de tempo, em geral se manifestando em uma fase mais tardia e avançada. Os sintomas mais comuns das doenças cardíacas são dor no peito (angina), falta de ar (insuficiência cardíaca) e palpitações (arritmias).

Hipertensos estão mais sujeitos a sofrer um derrame?

Sim. Pessoas com pressão alta sem controle adequado têm maior probabilidade de sofrerem derrame. Existem dois tipos de acidente vascular cerebral (AVC), popularmente chamado de derrame: o AVC isquêmico e o hemorrágico. No isquêmico, a hipertensão a longo prazo está relacionada com o aumento da incidência, pois há um espessamento dos vasos e/ou formação de placas que podem ocluir o vaso ou causar embolia, causando redução do fluxo de sangue e oxigênio ao cérebro. No AVC hemorrágico, um pico de pressão alta pode ocasionar a ruptura de um vaso cerebral causando sangramento. Este tipo de AVC em geral é mais grave. O AVC, além da alta mortalidade, pode trazer sérias consequências e deixar sequelas motoras e cognitivas.

Que tipo de sintomas ou males ocorrem em nosso organismo quando alguma doença atinge a aorta?

A aorta, por ser a maior artéria do corpo, é a mais frequentemente acometida por aneurisma, que é uma dilatação por enfraquecimento da parede deste vaso. O crescimento em geral é lento, ao longo de vários anos ou décadas. A exemplo da maior parte das doenças cardiovasculares, os males que acometem a aorta, em geral, não apresentam sintomas. Em uma fase avançada, quando o aneurisma se torna muito grande ou quando aparecem sintomas como dor no abdome, o risco de ruptura com consequente hemorragia interna e morte passa a ser grande.

Como é o tratamento a partir daí?

O tipo de tratamento vai depender da localização, tamanho do aneurisma e presença ou não de sintomas. Aneurismas pequenos e assintomáticos podem ser tratados com medicamentos para controlar a pressão, acompanhados de métodos de imagem (ecografia ou tomografia). Aneurismas maiores podem ser tratados de duas formas: cirurgia convencional ou endovascular. Esta última é a de escolha na maioria dos casos, por ser menos invasiva. Através de uma punção na virilha, sem necessidade de cortes, por dentro do sistema arterial, uma prótese é inserida na aorta e ancorada antes e depois da parte enfraquecida da aorta (onde está o aneurisma), excluindo este da circulação e eliminando o risco de ruptura. É um reforço por dentro da parede da aorta. Não necessita cortes no tórax ou abdome e, por ser um procedimento minimamente invasivo, tem menor risco e recuperação mais rápida.

Histórico familiar e pressão alta são os principais riscos para doenças na aorta?

Sim, estes são os principais fatores de risco, além do tabagismo. A doença é ainda mais comuns em homens: entre idosos, cerca de 5% da população masculina e 0,4% da feminina apresentam lesão na aorta. Daí a importância do check-up da aorta, com uma ecografia que detecta os aneurismas da aorta abdominal.


Diário de Cachoeirinha
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE