Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Av. Dorival Cândido Luz de Oliveira, 6423 (parada 63) - Monte Belo - Gravataí - CEP: 94050-000
Fones: (51) 3489-4000

Central do Assinante: (51) 3600.3636
Central de Vendas: (51) 3591.2020
Whatsapp: (51) 99101.0318
PUBLICIDADE
Amigo Bicho

Ter um animal de estimação exige tempo e dinheiro

Empresário e veterinária falam sobre quanto custa ter um animalzinho
15/05/2018 11:38 15/05/2018 11:38


Fernando Lopes/GES
Thiago Sperk explica quais são os custos de ter um animal de estimação
Ter um animal de estimação é muito legal, mas também exige tempo e dinheiro. Por isso, antes de decidir adotar ou comprar um bicho, vale a pena saber quanto custa essa experiência e avaliar se ela cabe no seu orçamento.

De acordo com o empresário Thiago Sperk, antes de adotar um animal, é preciso saber se ele cabe no seu bolso. “Os gastos variam. Para um gato, por exemplo, a média de R$ 121,39 por mês. Já os cães variam de acordo com o seu porte. Um animal pequeno gasta aproximadamente R$ 216,50, um médio, R$ 278,21 e um grande, R$ 411,32”, explica.
Esses valores, segundo ele, ainda não incluem a castração. “E quando o animal não é castrado, muitos outros gastos podem ocorrer com as crias ou com doenças como a piometra, por exemplo.”

“E isso tudo levando consideração que você tenha um animal saudável, pois ainda existem os casos de animais que tem doenças como diabetes, alergias, problemas de pele recorrentes, problemas cardíacos, renais, neurológios, oculares, convulsões”, acrescenta Sperk.

Como o cálculo foi feito

GATOS
- Ração: o consumo médio diário é de 71 gramas para gatos castrados;
- Banho e tosa: o cálculo é de um por mês, mas isso varia de acordo com o animal;
- Veterinário: três consultas por ano;
- Antipulgas: considera o método topspot, quando uma pequena quantidade de produto é pingada na nuca do animal uma vez ao mês;
- Vacinas: quádrupla e raiva, uma vez ao ano;
- Vermífugos: considera que é feita uma vermifugação preventiva a cada 6 meses.

CÃES
- Ração: o consumo médio diário é de 215 gramas (animais pequenos), 332 gramas (médios) e 521 gramas (grandes);
- Banho e tosa: considera um banho e tosa por mês, com preço médio do serviço;
- Veterinário: três consultas por ano;
- Antipulgas: considera o método topspot, quando uma pequena quantidade de produto é pingada na nuca do animal uma vez ao mês;
- Vacinas: V10, raiva, giárdia e gripe, uma dose ao ano;
- Vermífugos: uma vermifugação preventiva a cada 6 meses.

Filhotes exigem mais


Fernando Lopes/GES
Veterinária Cristiane Falcão
De acordo com a veterinária Cristiane Falcão, a chegada do animal em casa exige mais cuidados, e, consequentemente, mais gastos. “Durante o período de adaptação do animal, é preciso que ele seja vermifugado. Nos cães são três doses e depois mais uma num intervalo de 15 dias. Já para gatos, é dada uma dose e depois outra num intervalo de 15 dias. Após a adaptação, inicia o protocolo vacinal. São nove vacinas no primeiro ano de vida do cão e quatro para os gatos. Depois, ao longo da vida, os cães recebem quatro doses anuais e os gatos têm duas vacinas”, explica.

Outro custo do primeiro ano de vida é a castração que deve ser feita quando o animal estiver perto dos seis meses.

Não só na doença

Cristiane também alerta que é importante que o animal faça pelo menos uma consulta anual ao veterinário. “Não se deve procurar o profissional só em caso da doença. É preciso também fazer a medicina preventiva. Um check-up, exames de rotina, conversa sobre cuidados são sempre importantes. Os donos dos pets precisam ter a consciência de que os animais têm algumas peculiaridades e, como nós, precisam ter a sua saúde cuidada”, finaliza.


Diário de Cachoeirinha
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE