Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Av. Dorival Cândido Luz de Oliveira, 6423 (parada 63) - Monte Belo - Gravataí - CEP: 94050-000
Fones: (51) 3489-4000

Central do Assinante: (51) 3600.3636
Central de Vendas: (51) 3591.2020
Whatsapp: (51) 99101.0318
PUBLICIDADE
Mundo animal

Autópsia revela 29 quilos de lixo plástico em corpo de baleia encalhada na Espanha

No estômago e no intestino da baleia havia sacos plásticos, cordas, restos de redes de pesca e até um tambor
10/04/2018 14:37 10/04/2018 14:50

A morte de uma baleia cachalote na Espanha mostrou ao mundo o impacto dos resíduos plásticos na vida marinha. A autópsia do animal, encontrado em fevereiro encalhado numa praia próxima ao Farol do Cabo de Palos, na cidade de Cartagena, na Região Autônoma de Múrcia, revelou a presença de 29 quilos de lixo plástico em seu trato digestivo, que, segundo os especialistas, provocaram a morte do cetáceo.

Segundo pesquisadores do Centro de Recuperação da Fauna Silvestre El Valle, responsáveis pela autópsia, o sistema digestivo da baleia "um jovem macho com cerca de 10 metros de comprimento pesando 6,5 toneladas" tentou expulsar parte do lixo ingerido provocando lesões no intestino, que levaram a um quadro de peritonite, uma inflamação da membrana que reveste os órgãos abdominais.

Entre o material encontrado no estômago e no intestino da baleia estavam sacos plásticos, cordas, restos de redes de pesca e até um tambor, entre outros objetos que não são digeridos e acabam se acumulando. Sensibilizada pelo incidente, a secretária de Meio Ambiente da região de Múrcia, Consuelo Rosauro, anunciou a criação de uma campanha de conscientização para alertar a população sobre os danos do plástico à vida marinha.

"A presença de plásticos em mares e oceanos é uma das maiores ameaças para a conservação da fauna silvestre em todo o mundo, já que muitos animais ficam presos no lixo ou ingerem grandes quantidades de plástico que acabam provocando a morte", afirmou Rosauro.

Um relatório recente produzido pela Fundação Ellen MacArthur alerta que sem medidas efetivas para evitar que o plástico chegue ao mar, em 2050 os oceanos terão mais plástico que peixes. Atualmente, a estimativa é que ao menos 8 milhões de toneladas de plástico sejam despejadas no mar, o equivalente a um caminhão de lixo por minuto.

Os animais de grande porte, como baleias, golfinhos, tubarões e tartarugas, correm o risco de ficarem presos no lixo, mas também de serem contaminados pela ingestão do plástico. Cientistas estão particularmente preocupados com o microplástico, partículas com menos de cinco milímetros de diâmetro, que são ingeridas em grande quantidade. Além do risco de intoxicação, o acúmulo de plástico no sistema digestivo dos animais dá a falsa sensação de saciedade, fazendo com que eles comam menos que o necessário e acabem sofrendo de desnutrição.

As baleias cachalotes estão entre os maiores animais do planeta, alcançando 18 metros comprimento e 57 toneladas. A espécie possui o maior cérebro entre todos os animais que vivem ou já viveram no planeta, pesando, em média, cerca de 7 quilos em indivíduos adultos. Segundo a Lista Vermelha da União Internacional para a Conservação da Natureza, a estimativa é que a população de cachalotes no mundo seja de cem mil animais. A espécie está listada como vulnerável.


Diário de Cachoeirinha
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE