Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Av. Dorival Cândido Luz de Oliveira, 6423 (parada 63) - Monte Belo - Gravataí - CEP: 94050-000
Fones: (51) 3489-4000

Central do Assinante: (51) 3600.3636
Central de Vendas: (51) 3591.2020
Whatsapp: (51) 99101.0318
PUBLICIDADE
Bem-estar

Dança pode melhorar sintomas depressivos na terceira idade

Prática libera neurotransmissores que criam um estado de bem-estar
06/03/2018 10:43 06/03/2018 10:44

Divulgação
Dança tem diversos benefícios na saúde

Diz o ditado que quem canta seus males espanta, mas a mesma expressão talvez também possa ser utilizada para a dança. Que o diga a senhora de 93 anos, que dança sentada em uma cadeira, cujo vídeo viralizou nas redes sociais recentemente. As boas gargalhadas que a senhora dá, enquanto acompanha os passos de sua professora na academia, demonstram sua felicidade.

Não é por acaso que a psicóloga Lidiane Andreza Klein, que desenvolve um mestrado que inclui balé e caminhada para idosos, afirma que a dança pode oferecer benefícios tanto para o corpo quanto para a mente. “A dança é uma das atividades física mais praticadas e bem aceitas pelos idosos e vem ganhando cada vez mais espaço como uma forma de promoção da saúde em diferentes populações”, salienta.

A dança pode atenuar o processo natural do envelhecimento, através da manutenção de um estado saudável, possibilitando a normalização da vida do idoso, afastando os fatores de risco comuns à terceira idade e promovendo uma melhor qualidade de vida a estes indivíduos.

Durante a dança ocorre a liberação de neurotransmissores como endorfinas e dopamina que criam um estado de bem-estar. As aulas de dança geralmente ocorrem em grupo, o que estimula a interação social e fortalece amizades.

Cuidados

A dança pode ser praticada por qualquer pessoa, desde que não tenha nenhum impedimento clínico. Existem alguns locais que solicitam um atestado médico autorizando a sua prática. A professora aposentada Teresinha Obal, 74 anos, moradora de Novo Hamburgo, consegue caminhar sem ficar ofegante, abaixa-se e levanta-se normalmente com facilidade e adora conversar com outras pessoas. Esses aspectos físicos e emocionais são reflexos da dança, que pratica há 18 anos. Eu comecei e gostei. É uma maravilha o relacionamento com a professora e colegas.” 

Benefícios

- Melhora os aspectos físicos (equilíbrio, protege articulações, fortalece músculos)
- Estimula a cognição (memória, atenção e funções executivas)
- Aumenta autoestima
- Melhora bem-estar e humor
- Combate estresse
- Queima calorias
- Melhora capacidade cardiorrespiratória e a circulação sanguínea
- Diminui pressão arterial
- Alivia dores
- Melhora coordenação motora.

Saiba mais

- Na primeira etapa da dança ocorre uma ativação sensitiva e depois a movimentação. Essa sequência estimula diferentes partes do cérebro.

- A dança possui a característica peculiar de ter atividades sequenciais, as quais necessitam ser lembradas, o que consequentemente estimula a memória através da repetição dos movimentos.

- Os estudos mostram que para estimular a cognição ela deve ser praticada de forma regular.


Diário de Cachoeirinha
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE