Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Av. Dorival Cândido Luz de Oliveira, 6423 (parada 63) - Monte Belo - Gravataí - CEP: 94050-000
Fones: (51) 3489-4000

Central do Assinante: (51) 3600.3636
Central de Vendas: (51) 3591.2020
Whatsapp: (51) 99101.0318
PUBLICIDADE
Caso Marta

Advogado da menor acusada de matar Marta diz não saber onde ela está

Ele sustenta que o fato foi um acidente e pediu um habeas corpus para que a menina não seja internada
08/03/2018 17:23 08/03/2018 17:23


Também nesta quinta-feira, Marcos Vinicius Barrios, defensor da menor de 12 anos acusada pelo homicídio, falou sobre o fato. Ele disse que o pedido de habeas corpus do pedido de medida protetiva para a jovem aguarda julgamento no Superior Tribunal de Justiça (STJ). No Tribunal de Justiça, essa solicitação foi negada, ainda no ano passado e o recurso aguarda há mais de seis meses para ser julgado.

Sobre o paradeiro da adolescente, o advogado disse que a questão não passa pela defesa. “A nós compete a questão jurídica. O local onde ela está e a decisão de não se apresentar é o cenário familiar que decide. Nossa preocupação não é saber onde estão e o que estão fazendo”, garante.

Barrios, que concedeu entrevista à reportagem em julho do ano passado, sustenta que o fato foi um acidente. “Não há requisitos para que se mantenha uma medida protetiva. Não há o que ela possa interferir a ponto de que seja necessária a internação provisória até seu julgamento. O anseio por punição antecipada é muito grande. Todos precisam ter olhos para ver que o que houve ali foi um acidente”, diz.


Diário de Cachoeirinha
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE