Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Av. Dorival Cândido Luz de Oliveira, 6423 (parada 63) - Monte Belo - Gravataí - CEP: 94050-000
Fones: (51) 3489-4000

Central do Assinante: (51) 3600.3636
Central de Vendas: (51) 3591.2020
Whatsapp: (51) 99101.0318
PUBLICIDADE
Cris Manfro

Pronto para receber?

"Abrir coração depois que se passou por uma grande decepção e depois que se foi magoado não é fácil"
25/03/2018 06:00

Cris Manfro é psicóloga clínica, terapeuta de família e casal e mediadora familiar
acmanfro@terra.com.br

Quando uma pessoa magoa você, dezenas de pensamentos e sentimentos invadem sua cabeça. Às vezes a situação não é tão grave e a decepção é pequena. Mas, quando a situação é grave e a mágoa imensa, a tendência da pessoa magoada é se fechar. Fechar na dor, na tristeza, no desapontamento como uma forma de deglutir o desapontamento e ao mesmo tempo se proteger. Quando estamos sofridos precisamos de tempo e queremos ficar em nós mesmos, elaborando a situação, digerindo as mágoas, acalmando o coração.

Caso você seja chamado a sair do seu casulo, geralmente a resposta se dá em forma de raiva e comportamento agressivo. Engana-se quem possa pensar que isso é maldade ou retaliação. É dor. Quanto maior a dor, mais tendência da pessoa responder com um comportamento de raiva. Muita criança que chuta canela na escola e é vista como agressiva está é triste. Tristeza pode ter a sua expressão através da brabeza, da agressão verbal ou até física. Claro que isso não dá o direito da pessoa sair agredindo por aí, dizendo que está triste e por isso tem o direito. Nenhuma violência é de direito.

Mas talvez a situação de maior dificuldade quando você está magoado é poder receber da pessoa que magoou. Costumo perguntar às pessoas magoadas se elas estão preparadas para voltar a receber afeto, carinho e cuidado de quem as magoou. Às vezes a resposta é negativa e nesse caso é melhor cada um ir para um lado. Outras vezes a pessoa não sabe se quer e precisa de tempo para acalmar a mente, os sentimentos e o coração para poder ter mais claro o que quer. Em outras a pessoa sabe que quer, mas ainda, não está conseguindo receber, porque a dor, a raiva e o ressentimento a impedem. Abrir coração depois que se passou por uma grande decepção e depois que se foi magoado não é fácil. Tirar as amarras, deixar de ser rígido, duro, voltar a sorrir e estar aberto a receber é assustador. O medo de uma nova decepção é enorme.

Porém, quando não há a disponibilidade de se abrir para um começo diferente, se a pessoa se nega a receber o que de bom a outra oferece, não tem como restaurar a relação. Se eu não recebo o que você me oferece, não temos como continuar. Amor não pode ser impedido de ser desfrutado. Mas precisa de tempo quando magoado. Aos poucos é necessário poder compartilhar coisas boas e afeto positivo ou fica inviável seguir em frente. A pessoa que magoou precisa de paciência, dedicação e demonstrações de muito amor para restaurar a relação. E quem foi magoado, precisa se esforçar para poder receber. Dando e recebendo amor que se constrói uma relação e se restauram relações machucadas. Ouse receber, apesar dos medos. Nada poderá lhe garantir que não será magoado novamente. Mas a falta do receber é morte do amor e da relação na certa. Já a coragem para receber amor, novamente abrindo o coração, é curador e restaurador.


Diário de Cachoeirinha
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE