Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Av. Dorival Cândido Luz de Oliveira, 6423 (parada 63) - Monte Belo - Gravataí - CEP: 94050-000
Fones: (51) 3489-4000

Central do Assinante: (51) 3600.3636
Central de Vendas: (51) 3591.2020
Whatsapp: (51) 99101.0318
PUBLICIDADE
Mundo

Após tempestade, 18 pessoas morrem em deslizamentos de terra na Califórnia

Autoridades procuram ao menos cinco pessoas e ainda acreditam em "milagre"
13/01/2018 12:58 13/01/2018 12:59

Frederic J. Brown/AFP
Deslizamentos de terra na Califórnia
As autoridades já confirmaram a morte de 18 pessoas nos deslizamentos de terra provocados por uma forte tempestade na Califórnia, mas esse número pode aumentar. Mais de 1,2 mil agentes do governo estão empenhados na busca de ao menos cinco pessoas que continuam desaparecidas, com idades entre 2 e 30 anos. Veículos militares, drones e cachorros estão sendo empregados nos trabalhos de resgate, mas o passar do tempo reduz as esperanças de encontrar sobreviventes. "Nós temos uma janela que está se fechando, mas ainda estamos otimistas" disse à BBC Mike Eliason, porta-voz do Departamento de Bombeiros do condado de Santa Bárbara. "Existem muitos casos em que pessoas foram encontradas após uma semana do desastre."

O xerife de Santa Bárbara, Bill Brown, também mantém a esperança em um milagre. "Em desastres, existem tantas histórias miraculosas de pessoas sobrevivendo por muitos dias. Nós certamente estamos procurando por um milagre neste momento" disse o xerife, à CNN. "Mas realisticamente, nós suspeitamos que iremos continuar descobrindo pessoas que foram mortas neste incidente."

O número exato de desaparecidos é incerto e pode flutuar. Na sexta-feira, as autoridades acreditavam que dezenas de pessoas poderiam estar sob os escombros, mas o número foi revisado para baixo. Ordens de evacuação foram estendidas, pois, segundo o xerife de Santa Bárbara, Bill Brown, os moradores que permaneceram em suas casas estão atrasando os esforços de recuperação na região de Montecito, a mais castigada pelas tempestades. Para reduzir os riscos de acidentes, o fornecimento de gás e energia elétrica será cortado neste sábado. "Nós sabemos que é um terrível inconveniente, mas também é incrivelmente necessário" apontou Brown. "Esta área inteira é uma zona muito ativa de resgate e recuperação no momento."

Segundo o xerife, a ordem de evacuação, que agora inclui áreas onde a evacuação era voluntária, deve durar uma semana, mas os moradores devem se planejar para duas semanas. Billy Grokenberger vive numa parte de Montecito que estava sob ordem de evacuação voluntária. Ele contou à CNN que a família havia preparado três carros para o caso de decidirem deixar a casa antes da tempestade de terça-feira. Mas não o fizeram.

"Nós pensamos em ir embora, mas tínhamos acabado de passar pelos incêndios. Não levamos o alerta a sério" contou. "Em quatro minutos a água passou pelo muro e invadiu nossa casa, quase até o segundo andar. A casa está destruída, mas você sabe, existem tantos outros que tiveram menos sorte. Nós nos sentimos sortudos por podermos sair vivos."

A tempestade atingiu a Califórnia entre 3 e 6 horas de terça-feira, o suficiente para provocar deslizamentos de terra na região que havia sofrido grandes incêndios florestais no fim do ano passado. Sem cobertura vegetal, o solo se tornou menos resiliente à enxurrada, o que contribuiu para o desastre. O "Thomas Fire" - o pior incêndio florestal da história da Califórnia - queimou mais de 281 mil acres de terra nos condados de Santa Bárbara e Ventura. Ele só foi contido completamente na sexta-feira (12).

O Serviço Geológico americano havia alertado sobre os riscos de deslizamentos na região. Segundo o geólogo Randall Jibson, os incêndios trouxeram instabilidade para as zonas montanhosas da região. Montecito agora tem menos riscos, já que a tempestade arrastou o material mais vulnerável. "Mas nenhuma tempestade carrega tudo que é suscetível. Quase sempre existe mais" alertou Jibson.


Diário de Cachoeirinha
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE