Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Av. Dorival Cândido Luz de Oliveira, 6423 (parada 63) - Monte Belo - Gravataí - CEP: 94050-000
Fones: (51) 3489-4000

Central do Assinante: (51) 3600.3636
Central de Vendas: (51) 3591.2020
Whatsapp: (51) 99101.0318
PUBLICIDADE
Silêncio na bateria

Cachoeirinha perde Buiu, a figura mais marcante do Carnaval

Rei momo por muitos anos, ele foi encontrado morto no entardecer de quinta-feira e a suspeita é de morte natural
12/01/2018 12:51 12/01/2018 12:52


Prefeitura de Cachoeirinha/Arquivo
Buiu foi o rei momo de Cachoeirinha por muitos anos
Carnaval em Cachoeirinha sempre é relacionado a uma grande figura. Buiu, o rei momo por tantos anos silenciou a bateria. Ele foi encontrado morto no entardecer desta quinta-feira (11) dentro do seu bar, na Vila Canarinho. Notando sua ausência por alguns dias, vizinhos tentaram arrombar a porta e entraram Buiu caído no chão. A polícia e a perícia foram chamadas ao local. 

De acordo com o delegado Newton Martins de Souza, todos os indícios são de que a morte foi natural. E somente o laudo pericial vai poder confirmar a causa. "O corpo não tinha sinal visível de violência e não havia nada no local que indicasse um arrombamento", confirma o titular da 2ª Delegacia de Policia (DP). "Além disso, o Buiu era uma figura muito querida na comunidade. São pequenas as chances de alguém ter armado um esquema para matá-lo", completa o homem que no ano passado já teve que investigar a morte de uma madrinha de bateria de escola de samba.

Vanderlei Pires tinha 53 anos. Segundo a filha Aline Peixoto Mota, Buiu estava sempre disposto e a morte foi uma surpresa para todos. "A minha ficha ainda não caiu. Almocei com ele no último domingo e ele estava bem. Estava se programando para ir para a praia e queria fazer uma festinha de carnaval na Canarinho", conta. Ela acrescenta que o pai tinha alguns problemas de saúde e que no momento pesava cerca de 160 quilos. A família também acredita em morte natural. 

Paixão pelo Carnaval e a Ronda Crioula

Aline acrescenta que o pai era a apaixonado pela cultura. "O Carnaval a Ronda Crioula eram os amores da vida dele. Ele podia passar o ano doente mas quando chegam estas datas estava sempre disposto. Ele lutou muito para não deixar o Carnaval de Cachoeirinha morrer. Estava sempre presente nas muambas e em tudo que era ligado a este evento. Além disso, era uma pessoa muito preocupada com o social. Todo final de ano se vestia de Papai Noel para distribuir presentes", conta, emocionada.

Tristeza no mundo do samba

Gel Bento, fundador da escola de samba Nação Unida, lamenta a perda do amigo. "Buiu foi o rei momo da Nação Unida nos primeiros três anos da escola. Antes disso, ele estava no bloco Omodua. Ele nos ajudou a criar a Nação Unida e sempre esteve presente com nós, ajudando de todas as formas, fazendo as fantasias, na copa. Quando fizemos um carnaval de rua, ele foi colocado como rei momo do carnaval. Depois quando foram criadas as outras escolas de samba, o Buiu era o que fazia a integração entre elas. Ele foi recebido por todas as escolas de braços abertos", afirma.

O carnavalesco conta ainda que somente em um ano o posto de rei momo foi disputado. "E mesmo com vários candidatos, ele foi eleito mais uma vez. O Buiu é a marca do carnaval da cidade", garante.

Mesmo sentimento tem Claiton Manfro que ocupou o posto de secretário da Cultura de Cachoeirinha por muitos anos. "Buiu era mais que rei momo, ele era um símbolo da cidade de Cachoeirinha. Uma pessoa símbolo de amor, de um profundo amor pela cultura do samba e pelo Carnaval. Alguém que acreditava absolutamente no ideal do Carnaval e o que ele significava para a cidade de Cachoeirinha, que vai além de uma festa. O Buiu era um incentivador incansável da festa. Encarnava o papel de rei momo e tinha a clara e a nítida noção do papel dele", afirma.

Claiton se emociona ao falar da perda. "Fiquei muito triste com a partida dele. A imagem do que ele representava vai continuar e que sirva de incentivo para quebrar paradigmas e preconceito como as pessoas tinham do carnaval. Buiu foi, sem dúvida, uma das grandes figuras para essa evolução do carnaval. Sem o Buiu o carnaval não existia. Estive com ele na semana passada. Ele era meu irmão. Me falou que estava contente por ter se aposentado, cheio de planos. Uma perda imensa", acrescenta.

Homenagens

Gel Bento diz que a Nação Unida está se preparando para fazer um evento de Carnaval este ano. "Vamos lembrar eternamente do Buiu e ter uma força para ter o carnaval melhor para homenagear ele. Ele era muito feliz. Conheço ele desde meus seis anos de idade e ele era o negão feliz", afirma.

A secretária municipal de Cultura, Esporte e Lazer, Patrícia Vianna diz que, apesar de não ter convivido com Buiu, sabia da importância dele para o Carnaval do município. "Ele era uma pessoa que levantou a bandeira por muitos anos na cidade. Esse ano vai ter carnaval na cidade e nós vamos fazer uma homenagem para ele", garante.

Despedida

O corpo de Buiu segue no IML em Porto Alegre. A família tenta a liberação mas, devido ao avançado estado de decomposição do corpo (estima-se que ele poderia estar morto há pelo menos três dias quando foi encontrado), ainda não há previsão para que ele seja liberado.

O velório deverá acontecer no Cemitério Memorial da Colina. A família pretende divulgar informações sobre a despedida do rei momo através das redes sociais.


Diário de Cachoeirinha
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE