Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Av. Dorival Cândido Luz de Oliveira, 6423 (parada 63) - Monte Belo - Gravataí - CEP: 94050-000
Fones: (51) 3489-4000

Central do Assinante: (51) 3600.3636
Central de Vendas: (51) 3591.2020
Whatsapp: (51) 99101.0318
PUBLICIDADE
Para atrair prosperidade

Hamburguense pagou R$ 25 mil para sacrificar irmãos em ritual satânico

Hamburguense que encomendou feitiçaria também teria pago para buscar as crianças, possivelmente na Argentina
05/01/2018 06:50 05/01/2018 06:52

Adriana Lima/GES-Especial
Partes dos corpos foram encontradas em estrada de Lomba Grande nos dias 4 e 18 de setembro
Quando consultado sobre a possibilidade de fazer ritual para atrair prosperidade a uma família hamburguense, o líder do templo satânico fez duas exigências: duas crianças, de mesmo sangue, e R$ 25 mil à vista. Esses foram os termos do negócio macabro, segundo a Polícia Civil, que resultou no esquartejamento de um menino de 8 a 10 anos e uma garota entre 10 e 12 anos.

A investigação apurou ainda que, no ritual, os irmãos foram decapitados e tiveram tronco e membros jogados em setembro na beira da Estrada Porto das Tranqueiras, no bairro Lomba Grande, em Novo Hamburgo. A Polícia ainda procura as cabeças nas imediações.

O satanista, o “cliente” e um parente estão presos desde o último dia 27. Eles continuam negando envolvimento na morte brutal das crianças. Outra peça-chave na investigação, um argentino que teria buscado as vítimas no país natal, é procurado. Há mais dois com prisão temporária decretada, por terem participado do ritual.

O hamburguense contratante da magia negra teria arcado ainda com os custos para trazer as vítimas, que teriam sido sequestradas ou compradas em região ainda desconhecida do país vizinho. A Polícia Civil mantém em sigilo a forma como o argentino teria ido buscar as crianças e apura novas informações.

Discípulo argentino é procurado

A possível origem das crianças, revelada ontem pelo Jornal NH, tem relação direta com o argentino foragido. Contatos dele no país vizinho são checados, na tentativa de identificar os irmãos. “Sabemos que já foi discípulo do bruxo. Tem antecedentes criminais e estava morando na Lomba Grande, mas já passou pelo Paraná e vários outros lugares antes de se estabelecer em Novo Hamburgo”, comenta o delegado Moacir Fermino Bernardo, que responde pela Delegacia de Homicídios. Agentes fazem buscas em locais não revelados. “É recompensador desvendar um caso dessa gravidade, com derramamento de sangue de crianças inocentes. A vida humana não tem preço."

Divulgação
Templo: área no interior de Gravataí, segundo a Polícia Civil, sediou ritual de morte
Bruxo é considerado celebridade no meio

O líder satânico preso é conhecido no meio. Dá palestras, tem clientes no exterior e já deu entrevistas a canais de televisão estrangeiros. O templo, em área de difícil acesso na localidade de Morungava, em Gravataí, é frequentado por seguidores de todas as classes sociais. Conhecido como bruxo e mestre, o satanista prega pactos com o demônio para solução de problemas financeiros e amorosos, entre outros trabalhos. “Com certeza não foi a primeira vez que cometeram esse tipo de atrocidade. Acreditamos que outras crianças e até adultos tenham sido vítimas desses sacrifícios. As estatísticas nos mostram que, no Brasil, não se tem notícias de 66% das pessoas desaparecidas”, comenta o delegado.

Reprodução
Demônio invocado foi Moloch
Segundo delegado, demônio invocado foi "Moloch"

Segundo o delegado, as investigações apuraram que o demônio invocado no ritual foi Moloch. “É a entidade para sacrifício de crianças. A figura dele aparece com uma criança no colo”, explica. A aparência de Moloch, segundo Fermino, era de corpo humano com a cabeça de boi ou leão e uma cavidade no abdome em que o fogo era aceso para consumir sacrifícios. A Bíblia cita o demônio e diz que os hebreus tinham proibição expressa, através de Moisés, de adoração a Moloch. Era, no entanto, cultuado por povos antigos do Oriente Médio.


Diário de Cachoeirinha
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE