Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Av. Dorival Cândido Luz de Oliveira, 6423 (parada 63) - Monte Belo - Gravataí - CEP: 94050-000
Fones: (51) 3489-4000

Central do Assinante: (51) 3600.3636
Central de Vendas: (51) 3591.2020
Whatsapp: (51) 99101.0318
PUBLICIDADE
Cris Manfro

Pedágios

"Se você quer chegar onde você quer, dependendo do caminho, vez que outra terá que pagar pedágio. Mas cuidado com o preço"

Cris Manfro é psicóloga clínica, terapeuta de família e casal e mediadora familiar
acmanfro@terra.com.br

Ouvi dizer que todas as boas estradas têm pedágio para que possa ser feita uma manutenção adequada e para que possam existir melhorias. Na teoria elas terão que ser as melhores estradas para você percorrer. Mas convenhamos que algumas exageram no preço. Até porque, diferente do que dizem, esse preço não é todo revertido para agregar valor ao seu trajeto. Na verdade, às vezes você só paga e não recebe nada em troca. Pois na vida não é muito diferente. Se você quer chegar onde você quer, dependendo do caminho, vez que outra terá que pagar pedágio. Mas cuidado com o preço.

Tem gente pagando caro demais. Tão caro que para chegar onde querem tem custado estragar relacionamentos, piorar de qualidade de vida e a perda do bem-estar. Essas três coisas custam caro e perdê-las é um preço muito alto a pagar. Tem gente nessa estrada fazendo suas refeições em pé. Isso mesmo, nem sentam para não perderem tempo. Não sabem o que se passa ao lado da estrada, tão pouco enxergam a paisagem, isso porque não olham pra ela. Não olham nem para as pessoas. Vão seguindo, pagando cada vez mais pedágio, sem recompensa pontual, só imaginando o que ganharão lá na frente, sem nada que lhes dê estímulo para continuar.

Poucas pessoas estão reparando no desgaste durante esse trajeto. Pessoas sem alegrias vão percorrendo as suas estradas, com olhar cansado, irritadas e preocupadas com quantos pedágios ainda faltam e se terão o suficiente para pagar. Perdem a liberdade de usufruir o trajeto da vida. Perdem a alegria da parceria por estarem sempre sisudas e angustiadas. Você pagará pedágios na vida, isso é certo. Mas você deve se preparar para eles e não ficar agoniado no meio da estrada. Dentro do possível deve tentar fazer uma previsão para se questionar sobre se essa é a estrada que você quer mesmo percorrer.

Sabe-se que numa vida mais simples os pedágios são menores ou praticamente inexistentes. Caso decida por uma estrada cheia de pedágios, lembre-se de parar algumas vezes, pois você merece pequenas gratificações como olhar a paisagem e apreciar o lugar aonde já chegou, desfrutando o lugar onde está e com as pessoas que são importantes pra você. E cuidado! Já vi pessoas perderem gente pelo caminho. E gente que era importante para elas. Como podemos esquecer ou perder alguém no caminho? Pagando pedágios!

Com o foco somente na chegada, que não chega nunca, sem prestar atenção em quanto isso está custando. Se for por um trajeto curto, por um breve tempo, vá lá. Mas se for por muito tempo, por um longo caminho e custando a qualidade dos relacionamentos com quem você ama, então é um perigo. Chegando ao fim da estrada você pode chegar à conclusão que mesmo chegando onde você quer aquilo não valeu à pena por custar caro demais.


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE