Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Av. Dorival Cândido Luz de Oliveira, 6423 (parada 63) - Monte Belo - Gravataí - CEP: 94050-000
Fones: (51) 3489-4000

Central do Assinante: (51) 3600.3636
Central de Vendas: (51) 3591.2020
Whatsapp: (51) 99101.0318
PUBLICIDADE
Solidariedade

Rotary realiza mais uma edição do Café da Amizade

Lucro do evento deste ano será destinado à Apae, Associação dos Autistas e para exames de câncer de mama

Giovani de Oliveira/GES-Especial
Muitas delícias e solidariedade no café do Rotary
O Rotary Club Cachoeirinha realizou na tarde de ontem a 13ª edição do Café da Amizade, no salão da Igreja São Vicente de Paulo em Cachoeirinha. O evento reuniu centenas de pessoas que degustaram dezenas de produtos e ainda praticaram a solidariedade. De acordo com a presidente Vera Maria Kittel, o evento é o resultado do trabalho de seis meses. “Contamos com o apoio de muitas pessoas que doaram produtos para a produção dos alimentos e de muito trabalho para a organização desta ação”, afirma.

O chá começou há 13 anos. “A ideia era arrecadar fundos para o clube que estava precisando. Depois, ele foi transformado em um evento beneficente. Começamos com a Apae, depois outras entidades e ações foram incluídas. Em 2015 eu tive um câncer de mama, e sugeri que o clube abraçasse esta causa. Hoje, felizmente, graças ao café e outras ações, é possível proporcionar às mulheres a realização imediata das biópsias em caso de um possível diagnóstico da doença”, diz Cledi Vieira, do grupo de senhoras rotárias.

Fila de biópsias zerada

O lucro do Café da Amizade será dividido entre três projetos. Um deles é o do câncer de mama. O Rotary compra agulhas para a realização da punção que faz o diagnóstico de câncer e encaminha as pacientes para o Hospital Mãe de Deus em Porto Alegre. Foram 50 exames pagos no ano passado. “Antes de iniciarmos este projeto, a fila de espera podia demorar até dois anos. Hoje, a paciente espera no máximo 15 dias e tem o seu diagnóstico rápido, o que é de extrema importância quando se fala em tratar o câncer”, explica a presidente.

O prefeito Miki Breier elogiou o trabalho realizado pelo clube. “As mulheres e também os precisam pensar a prevenção. O diagnóstico tardio do câncer é muito perigoso e esta parceria permitiu que o município zerasse a fila de espera para as biópsias. A sociedade cada vez mais entende que o poder público sozinho não dá conta e que se todos puderem fazer a sua parte, se for possível a criação de parcerias como essa, todos têm a ganhar. Este café é um exemplo da união dos poderes para um bem maior da comunidade”.

Sonho quase pronto

Uma das entidades beneficiadas pelo café é a Apae de Cachoeirinha. A entidade está vendo o sonho de ter uma sede própria se realizar. Segundo o presidente Eliseu Gonçalves, agora é hora da reta final. “A obra está quase pronta. Por dentro já finalizamos. Estamos aguardando a instalação do elevador, ainda é preciso construir o muro externo, a fachada e um playground. Nossa ideia é que em setembro possamos inaugurar e começar a usar a nossa nova casa”, conta.

Mas para que isso aconteça, a entidade segue com a campanha de arrecadação de fundos que vão permitir esta conclusão. Durante o Café da Amizade, foram oferecidos os tijolos da campanha da construção. Nele, a pessoa compra um tijolo e assim ajuda na conclusão da obra. Outra campanha em andamento é a da construção da fachada. O sonho da entidade é fazer uma entrada bonita e que mostre todos aqueles que ajudaram ao longo dos anos.

Para café a entidade levou o seu tradicional brechó. “Sempre recebemos 30% do lucro do café, além de termos espaço para mostrarmos o nosso trabalho e fazer a nossa campanha. Esta parceria é de suma importância para que sigamos com os nossos atendimentos. O valor recebido aqui será usado para as despesas diárias que temos. É uma parceria muito importante para nós. Estes valores fazem a diferença no nosso dia a dia”, garante o presidente da Apae.

A casa dos autistas

Novidade no café deste ano foi o destino de parte do lucro para a Associação de Pais e Amigos dos Autistas de Cachoeirinha. A Pais e Amor foi criada há um ano por quatro mães e hoje já reúne 60 famílias de portadores de autismo. No final de junho, a entidade recebeu do poder público um terreno no Parque da Matriz, próximo ao posto de saúde, para construir a sua sede. O lucro recebido do Café da Amizade vai ajudar a dar os primeiros passos nesta construção. “O Rotary vem sendo um grande parceiro da nossa associação. Já nos ajudou com alguns materiais que serão usados para a construção da nossa casa e agora está proporcionando que sejamos também parceiros do Café. Para nós é muito gratificante fazer parte deste evento”, afirma Ane Abreu, vice-presidente da Pais e Amor.

O projeto da sede já começa a ser elaborado e os pais estão fazendo o levantamento de quanto a obra deve custar. A ideia é que, partindo de um local para os encontros, seja possível ir em busca de um melhor atendimento para os autistas e de novas oportunidades para a evolução deles ao longo da vida.

O lucro do Café da Amizade será dividido entre três projetos. Um deles é o do câncer de mama. O Rotary compra agulhas para a realização da punção que faz o diagnóstico de câncer e encaminha as pacientes para o Hospital Mãe de Deus em Porto Alegre. Foram 50 examos pagos no ano passado. “Antes de iniciarmos este projeto, a fila de espera podia demorar até dois anos. Hoje, a paciente espera no máximo 15 dias e tem o seu diagnóstico rápido, o que é de extrema importância quando se fala em tratar o câncer”, explica a presidente. O prefeito Miki Breier elogiou o trabalho realizado pelo clube. “As mulheres e também os precisam pensar a prevenção. O diagnóstico tardio do câncer é muito perigoso e esta parceria permitiu que o município zerasse a fila de espera para as biópsias. A sociedade cada vez mais entende que o poder público sozinho não dá conta e que se todos puderem fazer a sua parte, se for possível a criação de parcerias como essa, todos têm a ganhar. Este café é um exemplo da união dos poderes para um bem maior da comunidade”.


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE