Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Av. Dorival Cândido Luz de Oliveira, 6423 (parada 63) - Monte Belo - Gravataí - CEP: 94050-000
Fones: (51) 3489-4000

PUBLICIDADE
Na Prefeitura

Gabinete do prefeito e Secretaria da Assistência Social são arrombados

1ª Delegacia de Polícia já está investigando e trata o caso como vandalismo

Prefeitura/Divulgação
Perícia esteve na Prefeitura verificando a situação do arrombamento
Eram 7 horas da manhã desta segunda-feira (6) quando o prefeito Miki Breier chegou para trabalhar na Prefeitura. Como sempre faz, chega pelos fundos da sede do Executivo, tendo acesso direto ao seu gabinete. Porém, desta vez, algo não estava certo. A sua sala havia sido arrombada. Dentro dela, tudo revirado. Bens de Miki e pertences da prefeitura foram levados. Sobre a sua mesa de trabalho, um bilhete em tom de ameaça. A Polícia Civil passou a manhã no local fazendo a perícia.

Segundo o delegado Leonel Baldasso Pires, da 1ª Delegacia de Polícia da cidade, tratasse de um ato de vandalismo. "A carta anônima deixada tem tom intimidador. Trabalhamos com a hipótese de crime político. Levaram pertences, se alimentaram na sala e até mesmo urinaram", explica.

Os invasores devem ter entrado pelo Centro de Especialidades Médicas, passaram pela Secretaria de Assistência Social, Cidadania e Habitação e depois acessaram o gabinete pela parte dos fundos. Ainda não foi contabilizado todo o prejuízo, mas já se sabe que foram levados televisores, notebooks, ferramentas de trabalho e até pertences de servidores. "Há o caso de uma funcionária que tinha deixado R$ 25 em uma gaveta para pagar uma conta e hoje percebeu que não estava mais lá", acrescenta o delegado. 

Sobre a carta, Baldasso não dá detalhes. "É uma crítica ao salário de prefeito e há um comparativo com o que recebe o servidor. Falam até dos móveis do gabinete, muitos que valeriam a mesma coisa que um salário. Mas não há ameaça à figura do prefeito", garante. A perícia trabalhou durante toda a manhã na sala e impressões digitais foram coletadas.

A Polícia acredita que o crime tenha ocorrido por volta das 18 horas de domingo (5). A suspeita, segundo o delegado, recai sobre servidores públicos. "O alarme disparou e não teve a presença de ninguém para verificar se algo estava acontecendo. Depois ele foi desligado. O foco da ação é uma afronta à administração, um descontentamento dos servidores. Foi uma grande ousadia de quem fez. Era alguém destemido, que sabia como desativar o alarme. Mas que deixou impressões digitais, por isso acreditamos que a solução será breve", acrescenta Baldasso.

O prefeito Miki Breier acompanhou o trabalho da perícia e seguirá o dia trabalhando na sala do seu chefe de gabinete, Pedro da Silva Francisco Filho. Ele também acredita que o crime esteja ligado à disputa política. "Grudaram chiclete na cadeira, tomaram suco de uva e até mesmo comeram na sala. Tinha sachê de condimentos, milho e batata palha na mesa. O que foi feito aqui foi vandalismo ao patrimônio. Lamento este tipo de postura e intimidação. Nós nunca nos negamos a dialogar", afirma.

Resposta do sindicato

Servidores municipais permaneceram boa parte da manhã em frente à Prefeitura, debatendo a situação do funcionalismo. Esta segunda-feira marca o primeiro dia de greve dos servidores. Sobre o ato de vandalismo ocorrido no gabinete, o presidente do Sindicato dos Municipários de Cachoeirinha, Guilherme Runge, diz que não irá se manifestar. "É uma infelicidade associar o que aconteceu no gabinete com o nosso movimento de greve. Lamentamos o ocorrido, mas não tem nenhuma relação", diz.


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS