Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Av. Dorival Cândido Luz de Oliveira, 6423 (parada 63) - Monte Belo - Gravataí - CEP: 94050-000
Fones: (51) 3489-4000

PUBLICIDADE
Crise

PIB fecha 2016 com uma queda de 3,6%, e Brasil vive a pior recessão

Em 2015, a economia brasileira já tinha recuado e, essa sequência, de dois anos seguidos de baixa, só foi verificada no País nos anos de 1930

Agência Brasil
Indústria, assim como agropecuária e serviços, teve queda em 2016
O Produto Interno Bruto (PIB), que é a soma de todos os bens e serviços produzidos no País, fechou 2016 com uma queda de 3,6%. Segundo dados divulgados nesta terça-feira (7), no Rio de Janeiro, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o PIB de 2016 ficou em R$ 6.266,9 bilhões.

Em 2015, a economia brasileira já tinha recuado 3,8%. Essa sequência, de dois anos seguidos de baixa, só foi verificada no Brasil nos anos de 1930 e 1931, quando os recuos foram de 2,1% e 3,3%, respectivamente.

Como a retração nos anos de 2015 e 2016 superou a dos anos 30, essa é a pior crise já registrada na economia brasileira. O IBGE dispõe de dados sobre o PIB desde 1901.

Queda generalizada

O desempenho dos três setores analisados pelo IBGE – agropecuária, indústria e serviços – recuaram no ano. A queda na agropecuária foi de 6,6%, na indústria, de 3,8%, e nos serviços, de 2,7%. Desde pelo menos 2012, a retração não era generalizada como a observada em 2016.


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Capa do dia

FOLHEIE O SEU JORNAL PREFERIDO NA TELA DO SEU COMPUTADOR.

ACESSE ASSINE AGORA
51 3600.3636
CENTRAL DO ASSINANTE

51 3591.2020
CENTRAL DE VENDAS DE ASSINATURAS